JPP alerta para a falta de profissionais de saúde mental

O JPP marcou hoje presença junto à Casa de Saúde de Câmara Pestana, tendo alertado para a falta de profissionais afectos à saúde mental, e recordando que “ainda são vários os enfermeiros a recibos verdes, incluindo nesta área, e que a própria Secretaria Regional com a tutela da Saúde admite a lacuna na especialidade de psiquiatria”.

“Para colmatar esta falta de psiquiatras o SESARAM, E.P.E. abriu, em Janeiro de 2021, o procedimento concursal para a contratação de dois profissionais, o que é, manifestamente, insuficiente”, referiu o deputado. Esta insuficiência é “reforçada com o documento do procedimento concursal, feito pela tutela, quando refere que existem mais de 1500 utentes em lista de espera e que muitos destes utentes aguardam há mais de 5 anos por uma consulta”.

“Mas vão mais longe, é o próprio procedimento concursal que refere que tem existido obrigação em referenciar utentes ao exterior por falta de cuidados subespecializados no SESARAM, E.P.E. E quando o utente não tem disponibilidade financeira? Isto é inadmissível”, reforçou Paulo Alves.

O deputado lembrou que o contexto de pandemia tem agravado esta situação “aumentando o número de pessoas que têm recorrido aos serviços de saúde mental. Se não existia capacidade, desde há 5 anos a esta parte, pelo menos, como pode a Saúde Mental responder às novas situações que têm surgido?”, questionou.

“Outra questão que se coloca é no acompanhamento destes utentes, após a alta, quer aos utentes, quer a familiares que se sentem completamente desamparados”, acrescentou.

A contratação de profissionais para a saúde mental é “urgente”, segundo o JPP. “Temos consciência que não se resolvem os problemas de um dia para o outro mas é necessário agir, de forma a resolver este problema que poderá ter consequências nefastas quer para os utentes, para as famílias e para toda a sociedade.