Quota de atuns rabilho atribuída a Portugal está a esgotar-se

O secretário regional de Mar e Pescas assistiu esta manhã à descarga de nove atuns rabilho na lota do Funchal, numa dia em que se ficou a saber que a quota atribuída a Portugal, Madeira e Açores incluídos, está a esgotar-se.

A quota acessória (bycatch) de atum rabilho que a Madeira, Açores e Portugal continental estão autorizados a capturar em 2021, está quase esgotada, refere a Secretaria Regional do Mar e Pescas. De acordo com o “aviso” emitido pela Direcção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) para a Direcção Regional das Pescas, 80 por cento das 113 toneladas foi o valor atingido no passado dia 22 de Março.

A pesca acessória, ou acidental, tem uma quota diferente da quota dirigida (78 toneladas só para a Madeira e Açores). A pesca dirigida é feita, obrigatoriamente, com salto e vara, e só é autorizada a um certo tipo de embarcações, ao passo que a acessória pode ser realizada por qualquer embarcação registada, explica a SRMP.

No que concerne à pesca dirigida do atum rabilho, de acordo com informações recolhidas pela secretaria regional de Mar e Pescas, “a Região está muito próximo de atingir o limite autorizado”.

Segundo dados da Direcção Regional de Pescas, o limite das quotas autorizadas para a captura do atum rabilho está a ser atingido mais cedo. Em 2020 a quota esgotou-se em Maio, este ano é mais do que provável que será atingida ainda em Março.

Esta quarta-feira, só no Funchal foram descarregados 9 exemplares de atum rabilho, um dos quais com 337,5 quilos de peso (ver foto com Teófilo Cunha).

O secretário regional de Mar e Pescas, que se encontrava em visita de trabalho à Lota do Funchal, acabou por assistir à descarga dos tunídeos. Teófilo Cunha tem afirmado publicamente que o Governo Regional está empenhado em aumentar a cadeia de valor do atum rabilho, ele próprio tem reunido com empresários e agentes para perceber o que é necessário fazer, e esta quarta-feira voltou a reafirmar esse propósito nas conversas que manteve com os pescadores.

Em termos de valor comercial, na primeira venda em lota, o total de atum rabilho descarregado atingiu os 405 127.47 euros, até ao dia 22 de Março.

Até agora, 31 embarcações descarregaram atum rabilho. Destas embarcações 20 têm autorização para pesca dirigida (num total de 38 autorizadas).

O preço médio pago ao pescador até 22 de março foi de 6,03 euros, mas com mais descargas nos últimos dias, o preço baixou para os 4 euros.