Teófilo Cunha comenta entrevista do líder da JP a um matutino regional

O secretário-geral do CDS-Madeira, Teófilo Cunha, reagiu hoje a uma entrevista do líder da JP, publicada num jornal local, considerando que o mesmo “deveria, em primeiro lugar, concentrar-se em motivar os militantes da sua estrutura e desenvolver actividade política. As juventudes partidárias são fundamentais para iniciar os jovens na actividade política, devendo por isso ser exemplos de empenho, de arrojo nas ideias, de espírito de missão”.

Considera ainda Teófilo Cunha que o líder da juventude centrista “deveria, ainda, ser solidário com o esforço do partido, que numa das épocas mais difíceis da história recente da Madeira, tem sido capaz de desempenhar, com reconhecidas competência e capacidade de trabalho, as missões governativas para as quais foi chamado”.

“A solidariedade pode, por exemplo, manifestar-se através da apresentação de propostas válidas nas áreas que são mais próximas das juventudes partidárias, tais como a política de juventude, a cultura, o desporto, a habitação jovem, o empreendedorismo, entre outras. Afinal, essa é uma das principais funções de uma juventude partidária, que não se pode nem deve ficar pela mera indicação de nomes para listas”, postula.

Agradecendo o “generoso contributo” do líder da JP, a Comissão Política (CP) do CDS recorda que a estratégia autárquica é sua competência, competência essa que foi também reforçada pelo Conselho Regional do partido, quando, com votação favorável dos representantes da Juventude Popular, mandatou o líder da Comissão Política para desenhar a referida estratégia, conclui um comunicado enviado às Redacções.