CDU critica assimetrias nas acessibilidades na cidade do Funchal

A CDU esteve, durante esta manhã, em contacto com as populações da freguesia de Santo António, tendo esta jornada terminado na Travessa do Laranjal, Caminho do Lombo dos Aguiares. Foi ali que a deputada municipal Herlanda Amado referiu que “existem zonas esquecidas no concelho do Funchal, ficando à margem do desenvolvimento anunciado pela autarquia funchalense”.

“Temos vindo a confirmar no terreno vários problemas de acessibilidades deficitárias que não garantem as necessárias condições de segurança para quem vive nestas localidades”, denunciou. “Multiplicam-se as promessas de que as populações veriam reconhecidos o direito ao desenvolvimento igual, mas infelizmente essa é mais uma das promessas que tardam em ser concretizadas”.

A CDU aponta que os moradores das zonas altas do concelho do Funchal reivindicam há vários anos por melhores acessibilidades, que até agora não têm sido asseguradas pela CMF. Para além de vários acessos, tem sido exigido há mais de uma década a construção de bolsas de estacionamento, que permitiria às populações das zonas altas ver garantido a melhoria da circulação automóvel e o acesso das viaturas de emergência e de socorro, em outras condições de segurança, contribuindo assim para a melhoria substancial de qualidade de vida destes moradores.

A CDU salienta que tem levado estas justas e legitimas reivindicações à Câmara, identificando várias localidades onde é urgente a construção destas bolsas de estacionamento, como o Lombo Jamboeiro, a Alegria, o Lombo dos Aguiares, a Barreira ou o Trapiche. Porém, apesar das propostas apresentadas, nada foi concretizado no terreno, acusam.

“Os vários executivos que estiveram à frente da Câmara Municipal do Funchal, PSD e PS nunca ouviram as reivindicações das populações ignorando as desigualdades sociais e territoriais com que as populações se confrontam”, referiu Herlanda Amado.