Aeroportos da Madeira e Porto Santo com certificação de boas práticas

O Aeroporto da Madeira e o Aeroporto do Porto Santo acabaram de receber a Certificação de Boas Práticas na Gestão de Riscos Biológicos, certificação desenvolvida pela Associação de Promoção da Madeira em parceria com a SGS Portugal. Esta certificação ambiciona que adoptando as boas práticas que diminuam os Riscos Biológicos, incluindo a Covid-19, e que através do controlo efectivo da pandemia e a reabilitação do sector do turismo, se possa ajudar à recuperação da confiança dos passageiros que visitam a Região Autónoma da Madeira, refere uma nota.

A ANA Aeroportos de Portugal e a Vinci Airports, através dos Aeroportos da Madeira, porta de entrada da RAM, envolveram-se neste processo, para fazer parte da promoção do destino Madeira como um destino seguro, bem como por ter sido  apresentado um sistema robusto, o qual prevê não só a implementação das linhas orientadoras do Governo Regional para a Saúde e Turismo; as linhas orientadoras da Direcção Geral de Saude como também o seu alinhamento com os normativos internacionais do sector dos Transportes e Aviação.

Acrescido a este processo de alinhamento normativo, foi implementado um plano de verificação de limpeza e desinfeção das superfícies de maior contacto não só pelos passageiros, mas também pelos colaboradores, através de um processo de amostragem nas zonas de maior risco.

“É com muita satisfação que recebemos a Certificação de Boas Práticas na Gestão de Riscos Biológicos. Esta iniciativa reforça o empenho conjunto da Associação de Promoção da Madeira e da ANA Aeroportos de Portugal para assegurar a maior segurança sanitária e contribuir para a retoma do setor do turismo da Madeira”, afirmou Thierry Ligonièrre, CEO da ANA Aeroportos.

“A Certificação de Boas Práticas na Gestão de Riscos Biológicos do Aeroporto da Madeira e do Aeroporto do Porto Santo constitui um passo importante no desígnio da afirmação de Destino Seguro que preconizamos para Região Autónoma da Madeira. A representatividade empresarial e setorial na certificação, acreditada pela multinacional SGS, reforça a confiança que é procurada pelos viajantes. Estamos certos que o envolvimento conseguido continuará a produzir um efeito que se apresenta como uma vantagem competitiva e que nos ajudará, e muito, no relançamento de toda a atividade turística”, realça por seu turno Eduardo Jesus, secretário regional de Turismo e Cultura.

Para além de implementar todas as orientações das entidades de Saúde, a ANA Aeroportos de Portugal promove o desenvolvimento, de forma contínua, de novas soluções para aumentar a segurança sanitária e melhorar a experiência do passageiro, assevera. Refira-se, neste âmbito, a aplicação de uma plataforma digital – U-monitor – que acompanha as medidas sanitárias e regista o feedback dos passageiros com resposta em tempo real através do QR-code.

Para além das recomendações de distanciamento físico – através de sinaléctica e adequação dos espaços -, de reforço da limpeza e desinfecção com utilização dos procedimentos mais inovadores, medição de temperatura a todos os passageiros que chegam, foram ajustados os fluxos de passageiros de forma a prevenir concentrações e implementada uma forte campanha de comunicação/informação aos passageiros (“Protecting each other” – VINCI Airports – implementada nos 45 aeroportos da rede, dando as mesmas referências visuais aos passageiros em todos os seus aeroportos).

Também todas as lojas, restaurantes e outros espaços de actividade comercial seguem as regras gerais definidas pela legislação portuguesa.

No passado mês de Junho a ANA recebeu a distinção do selo CLEAN & SAFE do Turismo de Portugal atribuída aos seus aeroportos, e em Setembro a certificação da Bureau Veritas que resulta de um processo de auditoria.