PSD-M critica CMF por “falha na política ambiental”

Os deputados do PSD-M denunciaram, hoje, a “ineficiência” da Câmara Municipal do Funchal no que diz respeito à gestão da rede de águas e de esgotos e da qualidade das águas balneares.

Numa iniciativa realizada na Praia do Gorgulho, o deputado Bruno Melim sublinhou que o desenvolvimento sustentável é uma das principais marcas do projecto de Governação do PSD na RAM, sendo disso exemplos a postura de acompanhamento sucessivo da qualidade das águas balneares, para que, entre outras distinções, as praias sejam merecedoras da bandeira azul.

Infelizmente, realçou, “nos últimos tempos temos vindo a assistir, na zona balnear do Funchal, a várias críticas dos banhistas devido à sujidade nas águas balneares”. Uma situação que, conforme sublinhou o deputado, tem vindo a ser alvo de vários alertas por parte do Governo Regional.

Segundo Bruno Melim, a Praia do Gorgulho é um exemplo desta nova realidade, sendo dos poucos locais que ostenta a bandeira vermelha no país.

“Temos uma zona em que as águas continuam a ser contaminadas, numa frente-mar privilegiada junto do turismo e isso acontece porque, de acordo com aquela que é a política de gestão das redes de águas, a Câmara Municipal do Funchal não tem feito o investimento necessário àquele que foi o crescimento da cidade nos últimos anos”, sentenciou.

O deputado salientou que esse desenvolvimento que se queria sustentável foi afectado nos últimos oito anos e hoje temos “uma rede de águas e esgotos que está obviamente subdimensionada para aquelas que são as necessidades”.

Bruno Melim salientou que, quando essa sujidade é mais visível, a tendência da CMF é atribuir a responsabilidade das descargas aos empreendimentos hoteleiros, quando estas situações se têm verificado também numa altura em estas unidades estão com muito menos clientes do que o habitual e algumas delas até estão fechadas.

Para o PSD, o arrastar desta situação tem consequências no turismo e por consequência na economia da Região, contribuindo para o agravamento das dificuldades que já foram criadas pela crise pandémica.

Nesse sentido, Bruno Melim sustenta que seria importante que a CMF olhasse para as questões relacionadas com o desenvolvimento sustentável, lembrando que “aquilo que fazemos hoje é a casa que deixamos para as novas gerações.”

O deputado exemplificou com o investimento que o GR tem vindo a realizar nos diferentes concelhos aderentes à ARM, referindo que era fundamental que também o Funchal desse um passo em direção a uma política sustentável, recordando que este concelho é responsável por cerca de 50% das perdas de água da Região.

Lamentou, por isso, a “guerrilha sistemática” ao Governo Regional que tem sido feito pela CMF no que se refere à construção da nova ETAR, um investimento que tem sido sucessivamente adiado, pela indefinição da autarquia.