Tripulações de pesqueiros regionais afectadas por casos de Covid-19

Rui Marote
No passado sábado o barco da ruama “Bruno” chegou à lota do Funchal com um tripulante indisposto, que seguiu para o centro de saúde. Efectuado o teste para a Covid-19, acusou positivo e de imediato foi avisada a restante tripulação. Soubemos que o pescado a bordo foi lançado ao mar (com Covid ou sem Covid tal não nos surpreende, porque acontece muitas vezes). A embarcação encontra-se estacionada junto à lota e nunca mais voltou ao mar.
O Funchal Noticias contactou outras entidades que desconhecem o caso: quer sanitárias ou das pescas, não têm qualquer reporte deste acontecimento .
Entretanto na passada terça-feira o espadeiro Maria Floripes deu entrada no porto de pesca junto á lota para descarregamento, com um tripulante  com sintomas o que levou a efectuar um teste que deu positivo.
No final da tarde de terça-feira o espadeiro fez -se à faina, sendo porém alertado para regressar, em virtude do tripulante citado testar positivo .
Ao chegar o armador e pescador descarregou o pescado (pouco) capturado nessa noite e aguardou com a restante tripulação que as entidades de saúde chegassem, uma vez que não queriam ir para as suas residências, a fim de nao infectar as suas famílias caso estivessem positivos. Acabaram por ser testados, e três pescadores deram positivo. Deste caso, as entidades de pesca da Região estão ao corrente.
Hoje cerca das 12 horas o FN voltou à lota e verificou que o Maria Floripes preparava-se para voltar à faina.
O pescado descarregado por esta embarcação foi considerado bom para consumo.
O vírus está, definitivamente, à solta na Região e não faz distinção entre profissões, nem entre ricos e pobres. Por isso, é bom acautelar todos os cuidados, em todas as profissões e em todas as circunstâncias.