Dragagem do porto do Funchal já passou de novela a longa-metragem…

Rui Marote
A dragagem do porto do Funchal já deixou de ser uma novela… passou mesmo a longa metragem. A produção deixou os meios navais e agora opta pelos terrestres. Esta manhã o Funchal Notícias acompanhou as “filmagens” com os meios instalados no pontão da foz da Ribeira de São Lázaro, equipamento mais sofisticado para desassorear a mina inesgotável de inertes. O vazadouro que era o oceano, passa agora a terrestre.
Os ensinamentos da firma Correia Fernandes, que realiza pequenas produções, serviram de exemplo ao super realizador Tecnovia. Na manhã de hoje, os trabalhos estiveram paralisados mais de uma hora: a logística de reabastecimento da “grua de filmagens” interrompeu o vai e vem dos camiões. Paula Cabaço presidente da APRAM não facilita, entretanto, num braço de ferro para que os metros cúbicos inscritos no caderno de encargos sejam retirados até o último balde. Não há dinheiro para ninguém sem o cumprimento escrupuloso do que está contratualizado. E as coisas avançam a passo de caracol, não sabendo ninguém quando será colocado o “The End” neste filme…
As cenas repetem-se: O balde retira o entulho depositado à entrada da marina, e coloca-o na foz da ribeira, que acabou de ser limpa (à atenção de Pedro Fino) enquanto aguarda os camiões. Trabalho a dobrar, para mais tarde retirar da ribeira..