Francisco Simões invoca a Cultura como uma das razões para votar em João Ferreira

A Comissão Regional de Apoio à Candidatura de João Ferreira à Presidência da República realizou ontem uma iniciativa na qual o escultor Francisco Simões apontou razões que as políticas da cultura somam para dar maior fundamento ao voto nesta candidatura no próximo domingo, 24 de Janeiro.

Junto ao Museu Casa das Mudas, na Calheta, Francisco Simões abordou as políticas da cultura, da fruição e criação cultural, como componentes fundamentais do desenvolvimento humano e social do País. Uma das fortes razões para o voto consciente na candidatura de João Ferreira, disse, radica no facto de ser esta a única candidatura que defende os valores da liberdade e “afirma os deveres do Estado de incentivar e garantir o acesso de todos os cidadãos aos meios e instrumentos de ação cultural em Portugal”.

Em nome desta candidatura, a clara consciência de João Ferreira quanto aos deveres do presidente da República de cumprir e fazer cumprir a Constituição, com a correspondente vinculação aos deveres do Estado quanto à cultura, dão razões acrescidas para um voto esclarecido. Disse Francisco Simões que «esta é a única candidatura «a promover a salvaguarda e a valorização da cultura e do património cultural, enquanto elemento vivificador da identidade nacional e vector do desenvolvimento nacional».