Residencial Colombo encerrou de vez

Rui Marote

A Residencial Colombo, que há cerca de três meses se encontrava encerrada, fechou de vez. E o proprietário, que explorava este negócio de hotelaria, diz mesmo que “todas as residenciais estão condenadas a encerrar”.

O aluguer do edifício foi o entrave definitivo, capaz de colocar um ponto final neste ramo de hotelaria. A residencial era uma referência, albergando muitas equipas de andebol, basquetebol e de futebol em escalões mais baixos. Era ainda procurada por imensos continentais e cidadãos de países nórdicos. Deixa por isso uma lacuna.
Depois da Reno, na Rua das Pretas que encerrou há quatro anos pelos mesmos motivos, agora fecha a Colombo. A Zarco, na Rua da Alfândega, enferma das mesmas dificuldades e fechou portas. A crise bateu à porta, mas não o pior não foi o agravamento da pandemia e sim a classificação dos imóveis, em que os seus proprietários são penalizados pelo agravamento do IMI sofrendo as rendas aumentos de de 300 e 400%. A procissão ainda vai no adro aguardando os proprietários a tão falada “bazuca” como tábua de salvação…