Miguel Gouveia inaugurou hoje os últimos 30 fogos construídos ao abrigo do Programa Amianto Zero

O edil funchalense, Miguel Silva Gouveia, acompanhado do seu executivo, inauguraram hoje, na Quinta Falcão, em Santo António, os últimos 30 fogos que foram construídos pela autarquia ao abrigo do Programa Amianto Zero, que erradicou o amianto da habitação social do concelho, resolvendo um problema de saúde pública que persistiu durante décadas, refere a CMF.

Com este programa, enalteceu Miguel Silva Gouveia, “a Câmara Municipal do Funchal investiu, ao longo dos últimos três anos, 5 milhões de euros num total de 66 novos apartamentos, divididos entre a Quinta Falcão, onde nos encontramos, e o Bairro dos Viveiros, em São Pedro, melhorando a qualidade de vida de cerca de 300 pessoas. Neste período de tempo, fomos a entidade pública da Região que mais habitação social construiu, e fizemo-lo com verbas exclusivamente camarárias, passando das palavras aos actos e dando corpo àquele que tem sido um pilar da nossa governação, desde que nos encontramos em funções.”

O presidente acrescentou que, “no meio desta crise dificílima que estamos a viver, de proporções ainda por definir, as preocupações dos funchalenses ao nível da habitação são das que mais continuamos a ouvir. A crise tem exponenciado este problema profundo e pré-existente, criando ainda mais dificuldades e ainda mais desigualdades. Concluir o Programa Amianto Zero neste momento foi uma contingência do destino, mas uma contingência feliz e profundamente simbólica se pensarmos que, em plena pandemia, será possível mudar a vida a tanta gente.”

“O Programa será concluído hoje, porque fizemos o diagnóstico adequado no momento certo, e porque há problemas que não se podem adiar para sempre, caso contrário vão inevitavelmente piorar. Com recursos escassos e com verbas próprias, a Habitação Social nunca foi um problema adiado para o actual Executivo da Câmara Municipal do Funchal”, garante Miguel Gouveia.

O presidente aproveitou esta oportunidade para anunciar que na próxima semana, a CMF “vai assinar um acordo de cooperação com o Instituto Nacional da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) e com a Secretaria de Estado da Habitação, que vai garantir ao Funchal financiamento para a construção de novos bairros sociais camarários a partir do próximo ano.”

Ainda este mês, a Câmara Municipal do Funchal lançará igualmente, com verbas próprias, concursos públicos para “a realização de investimentos no valor de 2 milhões de euros, para obras estruturais de reabilitação nos complexos habitacionais do Canto do Muro, da Ribeira Grande e do Palheiro Ferreiro, que irão decorrer ao longo do próximo ano”, acrescentou o autarca.

Miguel Gouveia disse ainda que “nos últimos anos, tivemos muitos exemplos de que há quem prefira tentar chumbar o futuro dos funchalenses, mas este Executivo estará sempre do lado das soluções, do trabalho feito, do que é melhor para a cidade e dos direitos de quem mais precisa. Com rigor, seriedade e transparência. Ter uma habitação digna é um direito; vamos continuar a trabalhar para que, no Funchal, ter um futuro também o seja”, assegurou.