Rui Barreto chama “falhado” a Paulo Cafôfo e diz que “está num estado patológico de desorientação”

O presidente do GR disse hoje, à margem de uma visita efectuada à empresa “Horários do Funchal”, que na próxima semana, antes da reunião do Governo Regional na quinta-feira, deverá anunciar novas medidas de combate à pandemia da Covid-19. Como já anteriormente deu a entender, “haverá um conjunto de princípios genéricos que serão adoptados, relativamente às nossas festas, de 15 de Dezembro a 15 de Janeiro”.

Por outro lado, respondendo a críticas do líder do PS regional, Paulo Cafôfo, de que a linha de apoio INVEST Madeira não está a chegar aos empresários, o secretário regional da Economia, que acompanhou Albuquerque nesta visita, disse que “Paulo Cafôfo tem revelado um estado patológico de desorientação”.

Rui Barreto disse que o que tem falhado é a política do PS e não do Governo Regional da Madeira. “A linha INVESTE RAM é a mais competitiva do país”, garantiu. “Abrimos uma segunda fase e já entraram mais de 1300 candidaturas, num valor de mais 22 milhões de euros”, revelou. “Na Madeira as linhas são operacionalizadas e são pagas às empresas, ao contrário do que tem acontecido no continente”, acusou. “Lamento desiludir aqueles que querem que tudo corra mal, para estarem persistentemente a criticar. Estão a fazê-lo para iludir os empresários e a população em geral”. Paulo Cafôfo, fulminou, “é um falhado” que está “órfão do PS nacional, que não lhe liga nenhuma”.

“Que raça de homem é que é ele”, insurgiu-se Barreto, acusando Cafôfo de não se pronunciar acerca de questões de interesse para a Madeira, como o CINM ou o aval, e não denunciar as “patifarias” do Governo central.

Por outro lado, Miguel Albuquerque agradeceu, na oportunidade, aos colaboradores do grupo Horários do Funchal “o desempenho que tiveram, e continuam a ter, durante a pandemia”. Trata-se de um trabalho, relevou, “que tem sido desempenhado com grande sentido de serviço público por todos os profissionais”, que se sujeitam a algum risco, admitiu. Porém, “esta empresa tem cumprido escrupulosamente todas as normas relativas à prevenção da Covid-19”, assegurou.

Citando alguns números, Albuquerque disse que a HF transportou no ano passado 19 milhões, duzentos e setenta e um passageiros. É uma empresa “fundamental ao nível da mobilidade dos cidadãos”, pelo que, explicou, “nós vamos continuar a cumprir o programa de investimentos, sobretudo a nível de renovação da frota”. O governo regional, adiantou, perspectiva investir cerca de 40 milhões de euros nos próximos anos, na aquisição de viaturas, melhoria da logística, e outros aspectos.

Até ao fim deste ano, disse, serão entregues 15 novos autocarros. Em 2021, serão adquiridos outros 15. A ideia é concluir a renovação da frota até ao final de 2022. Pelo que o Governo perspectiva, será necessária a aquisição de 115 novos autocarros. “O horizonte é esse”, anunciou o chefe do executivo.