PSD-M apresenta voto de pesar na ALRAM, pelo falecimento de Gonçalo Ribeiro Telles

Os deputados do PSD-M deram entrada, na Assembleia Legislativa da Madeira, com um voto de pesar pelo falecimento do arquitecto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles. Nascido em Lisboa, em 1922, foi um defensor acérrimo do equilíbrio entre homem e natureza, e um pioneiro no que à política ambiental diz respeito. Homem cívica e politicamente activo, foi um dos fundadores da coligação Aliança Democrática, liderada por Francisco Sá Carneiro, denunciou a tortura dos presos políticos, pela PIDE, integrou a maioria dos governos provisórios, oriundos da revolução de Abril, e desempenhou diversos cargos públicos, recordam os social-democratas.
“A ele, Portugal deve a definição de uma política de ambiente e de paisagem, destacando-se, dos seus indiscutíveis contributos, a Reserva Agrícola Nacional e a Reserva Ecológica Nacional, bem como, propostas da Lei de Bases do Ambiente, da Lei da Regionalização, da Lei Condicionante da Plantação de Eucaliptos, da Lei dos Baldios, da Lei da Caça e da Lei do Impacto Ambiental”, acrescenta o partido.
“Reconhecido nacional e internacionalmente, Ribeiro Telles deixa um legado e um trabalho inestimável, desde cedo entendido como visionário, pragmático e sustentável, hoje, tão urgente e premente”, conclui um comunicado à Imprensa.