PPM Madeira diz que há artistas que não têm quaisquer apoios do Governo ou Câmaras

O PPM Madeira reuniu-se esta manhã com alguns artistas plásticos da Região, ouvindo as queixas destes sobre os apoios em altura de pandemia. Estas centram-se principalmente, segundo refere o partido, no facto de que os apoios dados pelo Governo Regional vão para instituições, mas os artistas plásticos em nome individual que têm que manter os seus próprios postos de trabalho e pagar as suas contribuições às Finanças e Segurança Social não são contemplados.
“Os nossos principais clientes são os turistas, pois para clientes da Região pouco vendemos”, foram estas as palavras unânimes dos artistas plásticos que não estão ligados a instituições de cultura”, cita Paulo Brito, coordenador do PPM Madeira, referindo-se ao que lhe foi transmitido. E continua a enumerar as queixas: “Eles, (Governo Regional e Câmaras Municipais), só se lembram de nós quando é para ir trabalhar ao vivo e gratuitamente em eventos por eles patrocinados”.
O responsável do PPM diz-se perplexo com o modo “como na nossa Região se trata assim a cultura e os nossos artistas plásticos”, alguns dos quais, afirma, têm “carreiras premiadas internacionalmente mas na sua terra natal simplesmente as suas peças de arte estão deitadas ao abandono, muitas delas vandalizadas e outras com uma clara falta de limpeza e manutenção”.
Por isso, questiona: “Será que nenhuma autarquia ou Governo Regional ainda não se lembrou de fazer um festival para limpeza de obras de arte com trabalho gratuito dos artistas plásticos?”