Porto do Funchal: 4 barcos agendados para Setembro

Tunéis de desinfecção: a adoptar no Porto do Funchal?

Rui Marote

O Funchal tem prevista a passagem de vários navios de cruzeiro no mês de Setembro. Passagens previstas mas não garantidas. A chegada prevista do primeiro navio, o Hebridean Sky, deverá acontecer a 18 de Setembro às 07 horas, tendo o navio saída marcada para as 23 horas do mesmo dia. Entretanto, e no dia 25, o Porto Santo recebe o Amadea às 8 horas da manhã. No dia 26 é o Funchal a receber este mesmo barco às 07 horas, com saída para Málaga às 14 horas. Nesse mesmo dia, é aguardado o Costa Favolosa, com chegada às 8 horas e saída às 17 horas. Por outro lado, no dia 27 o cais sul recebe o Silver Spirit, com saída prevista para o dia seguinte, 28.
Todas as chegadas destes barcos aguardam confirmação definitiva, uma vez que muitos são agendados mas cancelam, o que tem vindo acontecer. Para o mês de Outubro está prevista a passagem de cerca de meia centena de navios. Esperemos que se possa verificar-se em segurança.
Desde de Março que o porto do Funchal não recebe navios de cruzeiro. A monotonia é quebrada apenas quando algum iate atraca para uma uma curta estadia, motivado pela necessidade de reabastecimento, como aconteceu esta manhã.
O silêncio e a “desertificação” apenas dão lugar a alguma animação através do martelo hidráulico nas obras que decorrem na Pontinha, para reforço e substituição dos cabeços.
A APRAM está braços com uma crise financeira. No horizonte surge a hipótese de uma privatização, se o governo não injectar capital.
O mundo mudou muito desde 11 de Setembro 2001 com o derrube das torres gémeas, no que a portos e aeroportos diz respeito, com introdução das medidas de segurança, quer em maquinaria e massa humana. Hoje continua-se apetrechar as zonas de chegadas com a tecnologia mais avançada, onde os scanners são quase uma obrigação em certos aeroportos cheios de regras muito apertadas: tirar sapatos, tirar cinto, relógio… São verificados os objectos na mala pessoal e é retirada até a água, tudo a bem da segurança, que está em primeiro lugar.
Hoje estamos a braços com uma pandemia grave e novas medidas, tomadas a bem da nossa saúde. O coronavírus veio para ficar, passando a ser mais um entrave a quem quer viajar. Para que os leitores façam um ideia, a “máquina” montada no aeroporto, no sistema de rastreio, tem cerca de 50 funcionários diariamente  em actividade.
Mas, voltando aos portos, no caso o do Funchal, o mesmo é em geral é um porto de escala e raramente de embarque. Os cruzeiros estão praticamente paralisados, não se sabendo como esta indústria se movimentará.
Especula-se que provavelmente será obrigatório para os “cruzeiristas” apresentarem um teste à partida. Na Madeira, está em estudo aplicar aos nossos visitantes testes rápidos ao desembarque.
Outra solução passa pela medição de temperatura e pela passagem por um túnel de desinfecção, maquinaria bastante dispendiosa, uma vez que seriam necessários no mínimo três, dois para o  cais sul e outro para o cais norte.
Toda esta “máquina” tem de estar montada até 18 de Setembro, com a chegada prevista do Hebridean Sky, como já referimos acima.