Motoristas dos autocarros queixam-se da falta de segurança

*Com Paulo Brito

Os motoristas dos autocarros continuam a queixar-se da falta de segurança, nestes tempos de restrições à circulação por conta do corona vírus.
As queixas devem-se à não distribuição de equipamentos EPI e à proximidade dos passageiros quando entram no autocarro, sem manter a devida distância de segurança que tem sido publicamente anunciada.
Os passageiros têm de passar pelos motoristas a menos de um metro de distância e nem sequer têm máscaras ou luvas, nem proteção como se verifica nos supermercados, farmácias e outras lojas, com  proteções de acrílico para os seus funcionários.
Os profissionais dizem já ter contactado os sindicatos, mas mesmo assim nada ainda foi feito. O sentimento de insegurança é grande, nomeadamente por parte daqueles que são grupo de risco por problemas de hipertensão e diabetes.
Os motoristas pedem que sejam tomadas outras medidas de segurança para eles e que sejam colocados acrílicos e distribuição de equipamentos EPI.