JPP quer reunião extraordinária do Conselho Económico e de Concertação Social da RAM

O JPP considera que a situação social e económica que a RAM vive actualmente “exige medidas excepcionais”, e por isso, considerando as competências do Conselho Económico e de Concertação Social da Região Autónoma da Madeira (CECS-RAM), nomeadamente quanto à sua relevância como órgão de consulta no domínio das questões económicas, sociais e laborais da Região, considera que seria útil realizar uma reunião de carácter extraordinário do mesmo.

“Tendo em conta as medidas sociais e económicas desencadeadas pelo Governo da República e pelo Governo Regional da Madeira e todas as eventuais consequências que a pandemia desencadeou, os desafios da actual conjuntura tornam relevante a participação das estruturas produtivas, económicas e sociais, na análise da evolução económica, social e laboral da Região”, entende o partido. Para o JPP, é essencial “agilizar, rapidamente, as linhas de financiamento para a salvaguarda da tesouraria das empresas que, neste momento, se deparam com a perda de receitas e, sobretudo, salvaguardar os postos de trabalho das empresas que estão paradas, em especial da hotelaria e restauração”.

“Os pareceres do CECS-RAM, mais precisamente, da Comissão Permanente de Concertação Social, face à actual conjuntura, no que diz respeito às medidas tomadas e outras potencialmente a tomar; às propostas de agilizar medidas a fundo perdido e, principalmente, a manutenção dos postos de trabalho com a garantia das linhas de apoio, tornam-se importantes neste momento em que o conhecimento e a experiência dos principais agentes da sociedade torna-se fulcral”, conclui a nota do partido, assinada por Élvio Sousa.