Carlos Pereira sugere medidas para as autarquias combaterem os efeitos do novo coronavírus

O deputado do PS-M no parlamento nacional, Carlos Pereira, veio sugerir algumas medidas que ainda podem ser postas em prática pelas autarquias para ajudarem a economia, na sequência da crise causada pela pandemia do Covid-19.

O deputado entende que, na RAM, “se estivermos todos juntos podemos mais facilmente resolver a crise pandémica e deixar a nossa economia em condições para arrancar logo que seja possível”.

Neste sentido, aponta algumas ideias que acredita poderem contribuir para minimizar danos e que devem ser levadas a efeito pelas autarquias.

Tendo a Direcção-Geral da Saúde informado que serão alargados os critérios para testar os cidadãos, e que bastará a identificação de ligeiros sintomas, o deputado entende que, neste contexto, os centros de rastreio autárquico podem ser muito importantes. Para além disso, e no que diz respeito à desinfestação, que já é feita por algumas edilidades, Carlos Pereira considera que pode ser feita com maior dimensão.
O socialista adianta também que tudo o que seja arrendamentos da responsabilidade das autarquias – familiar e comercial – devem ser alvo de redução ou suspensão. Afirma que é igualmente preciso reduzir custos fixos do comércio, sendo que, nesta matéria, as autarquias têm responsabilidade em termos de taxas municipais. “É preciso suspender tudo! Suspender já é decisivo para salvar empresas e empregos”, frisa.

Já no que diz respeito à questão social, o deputado do PS-M defende que as autarquias devem organizar-se, seja no apoio diário aos idosos, seja no apoio às famílias. “É preciso criatividade e adicionar meios, também autárquicos, porque a excessiva prudência na utilização dos recursos financeiros não é avisado, porque não fazemos a mínima ideia do futuro”.

Carlos Pereira propõe finalmente que, de forma a mobilizar recursos que estão disponíveis na União Europeia, as autarquias, no quadro da Associação de Municípios da Região Autónoma da Madeira, criem um grupo de trabalho, envolvendo quem tem informação (as deputadas europeias e a ex-deputada Liliana Rodrigues) e “tentem tudo o que é possível”.