Humberto Vasconcelos quer que o Governo central intervenha na greve dos estivadores

A greve selectiva dos estivadores do porto de Lisboa já está a provocar prejuízos na exportação da banana da Madeira, refere uma nota da Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural. O Governo Regional mostra-se preocupado com a actual conjuntura, que, prevê, tenderá a agravar-se caso se confirme a greve total de vinte dias, prevista entre 19 de Fevereiro e 9 de ;arço, pelo que exige ao Governo da República a resolução do problema, para que se evitem perdas avultadas de rendimento e produto.

“Como a banana é um produto perecível, a sua demora a entrar e a sair do porto de Lisboa faz com que ali amadureça provocando, naturalmente, perdas significativas. Portanto, é urgente o Governo República tomar medidas na defesa da exportação de produtos perecíveis, caso contrário teremos prejuízos avultados”, pede o secretário regional de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Humberto Vasconcelos.

Nesta altura do ano, a Madeira exporta cerca de 200 toneladas de banana para o continente português, com uma média de oito contentores para o porto de Lisboa e cinco para o porto de Leixões. Mas, como forma de atenuar os problemas da greve selectiva, alguns contentores estão a ser desviados para o porto de Leixões, que acarreta mais custos no transporte e colocação no mercado.

“Este é um problema que tem de ser resolvido rapidamente”, avisa Humberto Vasconcelos, explicando que “para sector da banana é absolutamente crítico o transporte marítimo”.