Recuperação dos tetos da Sé vai custar mais de um milhão de euros, obra estará concluída a meados do ano

O presidente do Governo Regional visita amanhã, 30 de janeiro, pelas 10 horas, as obras em curso de recuperação dos tetos mudéjares da Sé do Funchal. A empreitada representa um investimento elegível na ordem dos 1.161.228 euros, com o FEDER a comparticipar em 987.043,80 euros e o Orçamento Regional em 174.184,20 euros. A obra tem uma duração prevista de 16 meses, pelo que deverá estar concluída em meados do próximo ano.

Os tetos da nave central, naves laterais e transeptos em estilo mudéjar, são considerados únicos em Portugal, com esta dimensão e características, lembra uma nota do gabinete de comunicação da Quinta Vigia. “A nave central, as laterais e o transepto são cobertos por um teto de alfarge, de estilo mudéjar (de tradição artística islâmica), em madeira de cedro da ilha, decorado em tons avermelhados, acastanhados, azuis, brancos e dourados. De perfil retangular (naves) e oitavado (transepto), ambos são lavrados com entrelaçados geométricos, rosetas, estalactites e pingentes”.

A mesma nota aponta que “as patologias que mais afetam os tetos são as mudanças de cor visível, devido a sujidades acumuladas e aplicações de camadas de vernizes e óleos sobre as superfícies e a gordura e fumos de ceras das velas queimadas ao longo de anos. A entrada de águas pontuais pelas coberturas (situação entretanto resolvida, numa intervenção nas coberturas realizada em 2007) e a humidade acumulada também causaram graves problemas, sobretudo nos madeiramentos do suporte”.

A obra contempla os seguintes trabalhos: a montagem, desmontagem e aluguer de andaimes e do estaleiro; a consolidação das madeiras do suporte; a consolidação e fixação da policromia e douramento; a limpeza da superfície policroma e douramento; o preenchimento e nivelamento de lacunas da camada cromática; a integração cromática; a aplicação de camada de proteção final; a reparação do reboco e caiação das paredes interiores da igreja.

Na intervenção de conservação e restauro serão adotados conceitos de intervenção mínima, respeito integral pelos materiais originais e utilização de materiais compatíveis com os que compõem o original. Paralelamente às ações de restauro, serão remodeladas a rede elétrica e a iluminação. Como memória futura, será realizado um acompanhamento exaustivo da intervenção, em fotografia e vídeo, para a produção de um documentário e de um livro sobre a mesma.