“Tristão e Isolda” no Baltazar Dias a 22 de fevereiro

“Tristão e Isolda” sobe ao palco do Teatro Municipal Baltazar Dias de 22 de fevereiro, a partir das 21 horas.

“Tristão e Isolda” desenvolve uma proposta de linguagem multidisciplinar entre a dança, o teatro, a arquitetura de cena e temas que potenciam um discurso contemporâneo sobre a condição humana.

A obra tem excertos musicais de Wagner, articulados com a música original criada pelo compositor César Viana. Os figurinos são da autoria de José António Tenente, a cenografia e adereços de cena são da autoria do cenógrafo Pedro Crisóstomo e o desenho de luz está a cargo do iluminador Nuno Meira.

Esta criação, embora acolha o título da ópera de Wagner, e se inspire nos momentos marcantes do libreto, não é uma revisitação do clássico da ópera. Mesmo tendo como pano de fundo a temática, a obra desenvolve uma viagem sensorial própria, no Mito, fora da narrativa convencional, e terá como indutores as grandes questões que o mesmo aborda e que interessam trabalhar na atualidade à coreógrafa – a irracionalidade, o desejo, a dependência do ser humano perante o amor, a mulher (uma descida à sua condição feminina e erótica).

A criação observa o corpo feminino como território de expressão, como catalisador de pulsões, reservatório de memórias das diversas partes que o constituem, no vislumbre de uma anatomia onde o gesto surge ligado às onomatopeias, à memória visual, tátil e emocional.

Ficha artística e técnica:
Direção e coreografia: Nélia Pinheiro
Bailarinos: Nélia Pinheiro, Gonçalo Andrade, Miguel Ramalho, Fábio Simões, Guilherme Leal, Margarida Belo Costa
Música original: Cesar Viana
Musica adicional: R. Wagner
Músicos: Quarteto de cordas João Roiz Ensemble
Figurinos: José António Tenente
Cenografia: Pedro Crisóstomo
Desenho de luz: Nuno Meira
Construção da cenografia: Joaquim Campaniço, Carlos Godinho
Fotografias: Telmo Rocha
Direção de produção: Rafael Leitão

Classificação Maiores de 12 anos
Bilhetes: 5 euros