Partido “Chega” diz que ficará atento à evolução política na RAM e no país

A direcção nacional do partido CHEGA, esteve ontem à noite reunida com todos os seus membros, na sede em Lisboa. Esta foi a primeira reunião após a eleição do seu cabeça de lista por Lisboa para a assembleia da República, André Ventura, (feito inédito de um partido em Portugal com somente 4 meses de vida, enfatiza o mesmo).
Foram abordadas várias temáticas, entre elas a decisão de autorização a entrada de novos membros para o partido, e o início da preparação para as próximas eleições,  presidenciais e autárquicas.
Foi ainda analisada “toda a campanha que está a ser alvo este recente partido, com o único objetcivo de denegrir a sua imagem, e credibilidade, por parte dos partidos de esquerda e alguma comunicação social ligada aos movimentos radicais da sociedade”, acusa uma nota de imprensa.
Mau grado estas ditas reacções, o partido “irá seguir a sua linha pura, e não irá compactuar com o sistema instalado. Neste momento temos um deputado, mas brevemente seremos muitos mais, o aumento da adesão ao partido após as eleições está a ser na ordem dos 60%”.
“Por parte da Região Autónoma da Madeira levámos alguns assuntos que queremos ver serem discutidos na Assembleia da República, referentes a RAM, e que estão no nosso objectivos, entre eles a mobilidade, a justiça e alguns temas relacionados com o Porto Santo, entre outros assuntos”, refere uma nota enviada à nossa Redacção.
O Chega diz que ficará atento ao desenvolvimento político na Região, através da sua estrutura local e nacional.