Resultados do PS-M davam para uma maioria absoluta de esquerda se fossem para as Regionais, lembra Carlos Pereira

Carlos Pereira eleições
Carlos Pereira, eleito deputado na Assembleia da República, recorda que nestas legislativas nacionais o PS-M obteve a menor diferença de sempre para o PSD.

O cabeça de lista pelo PS-Madeira às eleições legislativas nacionais, reeleito para mais quatro anos na Assembleia da República, veio hoje a público, na sua página pessoal do Facebook, traduzir, com leitura, os resultados do partido na Região e o facto de o PS-Madeira ter obtido “nestas eleições a menor diferença de sempre, em qualquer outro ato eleitoral, para o PSD”.

A posição de Carlos Pereira, figura que já foi líder socialista e com acentuadas divergências para com a atual gestão do partido, surge quinze dias depois das eleições regionais, onde Paulo Cafôfo liderou o projeto de chegada ao poder, que não surtiu os efeitos desejados mas que deu para trazer o PS-M à ribalta da política regional, chegando perto do PSD. Não tão perto como agora, segundo a abordagem de Carlos Pereira, que nestas legislativas nacionais surgiu como adversário direto de Miguel Albuquerque, cabeça de lista do PSD.

Carlos Pereira, no seu escrito da rede social, diz que “face às regionais, encurtamos a distância e ganhamos mais un concelhos”. Mas também deixa outra alusão que não pode deixar de constituir uma verdade de certo modo “incomodativa” para os socialistas: “Com tudo isto ainda há outra coisa boa: se fossem eleições regionais, haveria uma maioria absoluta de esquerda para formar governo. Bons Ventos…”

Uma reflexão que não deixa de ter uma leitura política em função do quadro político que saíu das regionais do passado 22 de setembro, onde o PS-M, com um líder de partido e outro candidato a presidente do Governo, esteve quase a alcançar o objetivo, um quase que permitiu ao PSD, juntamente com o CDS, encontrar uma plataforma de entendimento para a constituição do próximo Governo Regional, o que deverá ficar acertado hoje pelas estruturas dirigentes dos dois partidos.