Veja como está a ficar o Bairro da Palmeira, recuperação total concluída em 2020, Rigo participa no projeto de intervenção social

Bairro Palmeira
Já é possível ver como será a nova imagem deste conjunto habitacional, que se encontra a ser alvo de um processo de recuperação.

O Bairro da Palmeira, situado no sítio da Torre, em Câmara de Lobos, está a ser alvo de obras de reabilitação, em especial nas fachadas dos blocos de apartamentos, nos muros de suporte, zonas comuns, acessibilidades e regeneração dos espaços exteriores.

Esta obra, da responsabilidade do Governo Regional, através da IHM – Investimentos Habitacionais da Madeira, EPERAM, está contemplada no Projeto Integrado do Bairro da Palmeira, que deverá estar concluído na totalidade até dezembro de 2020. Uma nota de referência é a participação do artista plástico Rigo num projeto de intervenção social com o envolvimento dos moradores.

Esta intervenção – a segunda fase -, aguardada há algum tempo, é agora uma realidade e está a decorrer a bom ritmo, tendo já permitido a reabertura dos acessos no interior do bairro, os quais estiveram interditos devido às obras. Recorde-se que a primeira fase aconteceu em 2005, com uma intervenção global e abrangente, onde foi executada a demolição de 12 fogos, a recuperação de 16, a construção de 24 novos fogos e o arranjo do campo de jogos existente no local.

Segundo o Governo “esta é uma empreitada importante para as muitas famílias que vivem naquele complexo habitacional, um dos mais antigos da Região”, lembrando que “as obras de reabilitação contemplam também parte do Bairro da Torre, beneficiando um total de 333 fogos”.

O projeto ascende a 5 milhões de euros, 3,5 dos quais comparticipados por fundos comunitários, e abrange ainda a beneficiação de edifícios de apoio social, como o centro social lá existente.

O Bairro da Palmeira surgiu na década de 80, com o objetivo de realojar as famílias carenciadas que residiam no Ilhéu de Câmara de Lobos. Este conjunto habitacional é constituído, no seu todo, por 36 blocos de habitação, com 281 fogos (6 T1, 17 T2, 133 T3 e 125 T4), 1536 moradores e 373 famílias.

Todos os edifícios a recuperar destinam-se aos atuais inquilinos deste conjunto habitacional, disponibilizando a estas famílias melhores condições de habitabilidade. Ao mesmo tempo, a requalificação urbanística e paisagística da área irá privilegiar a vivência em comunidade.

Recorde-se ainda que o artista plástico Rigo 23 irá participar num projeto de intervenção social com o envolvimento dos moradores e orientado por Michelle Kasprzak. Este projeto abrangerá um grupo de 12 adolescentes do Bairro da Palmeira, alunos entre os 12 e os 15 anos do 7º ano da Escola Básica dos 2º e 3º ciclos da Torre com dificuldades de aprendizagem.