Cafôfo quer novos apoios para os sectores tradicionais no Oeste da ilha

O candidato do PS-Madeira às próximas eleições regionais, Paulo Cafôfo, defendeu novos apoios para a actividade económica em sectores mais tradicionais na costa oeste da Madeira. Para isso, é importante dar benefícios para estimular a produção e criar mais oportunidades para a dinamização económica e social nesta zona, referiu, durante a visita à Festa do Pêro, na Ponta do Pargo.

“Defendemos uma visão integrada de desenvolvimento para toda a ilha, que promova igualdade de oportunidades e igualdade social. Para os concelhos que estão mais distantes do sul da ilha temos de ter medidas concretas que apoiem quem cá vive, mas que também criem estímulos para que outras pessoas e empresas possam investir aqui”, acrescentou Cafôfo. Medidas de repovoamento, políticas de reequilíbrio territorial, de discriminação positiva e de legislação específica para zonas mais vulneráveis são compromissos que o PS tem no seu programa, acrescentou.

O cabeça de lista do PS-M realçou ainda a importância de aplicar à Madeira o Estatuto de Pequena Agricultura Familiar, já existente no continente, mas ainda não vertida para a Região, e a necessidade de valorizar os produtos regionais.

O programa do partido propõe implementar um mecanismo de apoio directo e imediato às empresas no custo de transporte de mercadorias, quer na vertente de importação de matérias-primas, quer na vertente de exportação de mercadorias produzidas ou transformadas na RAM. “Temos de saber valorizar o que é nosso, o que é da nossa Região. Temos de encontrar mecanismos de apoiar os produtores madeirenses e porto-santenses, não só para fazerem chegar os nossos produtos de referência ao continente como a outros mercados internacionais, mas também para que internamente possamos aceder aos produtos madeirenses”, concretizou.

Para promover o aumento do consumo interno de produtos regionais, e em particular a sua utilização na gastronomia tradicional, o PS coloca maior ênfase no sector do turismo, em particular na hotelaria e na restauração. “Sem dúvida que enriquece a experiência proporcionada aos turistas que seja utilizado o melhor da nossa produção agrícola e da pesca. Isso faz parte da valorização e requalificação do nosso produto turístico que preconizamos”, declarou Cafôfo.