JPP na apresentação das listas define o PSD como adversário político

O Juntos Pelo Povo entregou esta segunda-feira, no Tribunal do Funchal, as listas candidatas às Regionais de 22 de setembro.

Segundo uma nota de imprensa, Élvio Sousa referiu que o Movimento já se manifestou publicamente com o seu objetivo eleitoral, manter ou crescer. “É um objetivo natural e positivo de qualquer grupo de cidadãos eleitores e de qualquer força política.”

“A mensagem que desejamos passar neste momento é que este grupo constituiu uma novidade em 2015. Embora as conjunturas variem, nós temos que estar de “pedra e cal”. Existem, pelo menos, dois partidos que parecem já ter vencido as eleições, o que não corresponde à verdade, é uma manobra deliberada e propositada de passar para a opinião pública uma falácia.”

O líder do JPP considera que o Movimento é uma alternativa à partidarite atual, “fazemos parte de uma família e naturalmente a nossa missão é harmonizar e constituir um exemplo. Gostaria de salientar que atualmente somos governo, temos uma Câmara que consideramos exemplar, pela matriz social do JPP e vamos apenas tomar esse bom exemplo de Santa Cruz, de boa gestão da causa pública, social e de solidariedade e transpô-la para o Governo Regional.’’

Élvio Sousa recordou, ainda, que existe uma “descarada integração de grupos económicos dentro dos partidos tradicionais e nós estamos isentos, totalmente afastados desses grupos de pressão. A coligação comercial foi conseguida há relativamente pouco tempo entre os grupos económicos e os partidos, e não estamos nessa onda. Temos de informar a população que estamos totalmente isentos e independentes para defender a causa pública. “

O JPP já referiu que o seu adversário político é o PSD, ‘’não havendo qualquer possível entendimento político. Nós movimentamo-nos por causas e não por sermos de direita ou de esquerda, o que não quererá dizer que abriremos a porta ou estabeleceremos carta branca a qualquer outro partido, estando cada vez mais distantes dos centros de poder, nomeadamente dos partidos que fazem ou fizeram parte do arco da governação.’’

A génese do JPP é garantir a salvaguardar social, os princípios que consideramos de causa pública, ‘’estamos ao serviço da população e da causa pública, não nos movemos por interesses, mas por causas que são substanciais à nossa forma de estar.’’

Élvio Sousa afirmou que estamos disponíveis para fiscalizar, mas também para governar, mas não temos pressa para onde vamos, como diz o ditado africano, “quem deseja ir muito rápido vai sozinho, quem quer chegar longe, vai em grupo.”

Élvio Sousa espera passar a mensagem de confiança e credibilidade naquilo que tem sido a matriz e o projeto deste Movimento de cidadãos, que em 2015, elegeu 5 deputados na Assembleia Legislativa da Madeira.