Barulho: Francisco Taboada critica “FarWest” na noite portossantense (c/vídeo)

O ex-presidente da Sociedade de Desenvolvimento do Porto Santo, Francisco Taboada criticou ontem o “FarWest” na noite portossantense.

Na rede social facebook, Taboada escreveu o seguinte:

“Estamos a 11 de Agosto, Domingo. Há 5 dias que ninguém dorme no centro da cidade do Porto Santo. É meia noite, estamos na fase de transição do Festival do Petisco para a discoteca ao ar livre, instalada à entrada do Cais, o Festival Porto Santo Beach Party. E o FarWest continua! E isto ainda agora começou!  Vai até às 4 da madrugada.

É assim desde há cinco dias!  E ninguém vê isto? Nem a Polícia, nem o Presidente da câmara que autorizou esta algazarra pela noite dentro até de madrugada?

A Polícia diz que está autorizado pela câmara e até está com dois Geep à frente dos eventos. Um empresário diz que em Canárias é assim e que quem não está bem que se mude! E a Câmara Municipal parece que não sabe que existe uma Lei do Ruído no nosso país ! E que existem direitos dos Cidadãos, dos seus Munícipes e dos Turistas que tem que ser respeitados e protegidos.

Então andamos por aí a propalar o Slogan promocional da Ilha Segura, do Sossego e da Qualidade Ambiental e depois pregamos-lhes com isto a noite toda !? Estamos em fase de candidatar a Ilha a Património da Bioesfera e o ecossistema que apresentamos é este: 82 decibéis à 1 da manhã ?!
E às 4 da manhã é pior. Tem sido assim nos dias anteriores.

Para quem não sabe 76 decibéis correspondem a música muito alta e 82 decibéis correspondem ao ruído produzido por um martelo pneumático da construção civil ( Jackhammer ). E as medições estão a ser feitas a 600 metros do local. Imaginem nas casas que estão lá à volta ! Um escândalo !

Não se consegue sequer conversar dentro de casa, com janelas de vão duplo fechadas.

Qual ecossistema !? Qual Biosfera !? Com esta barulheira, nem um Pardal pára entre o Ilhéu de Cima e o Ilhéu da Cal !

É meia noite e meia. Estão agora na fase de ver quem põe o som mais alto. A meio da tarde o conjunto musical da Feira do Petisco já esteve a ensaiar em alto e bom som.  Até tocaram, e muito bem, o “Wish you were here” dos Pink Floyd. Acho que foi para me agradar ! Depois da chumbada que tem sido a semana toda, com misturas de TecnoPimba. De manhã costuma ser o ajuste técnico, com baixos de fazer estremecer os edifícios e rebentar os tímpanos. E tem sido assim todos os dias desde quarta feira !

Ontem tive que ir dormir para casa de uns amigos no Campo de Baixo, mas, mesmo lá, ouvem-se perfeitamente o baixos deste chavascal todo. O gato tinha a cabeça enfiada debaixo do tapete e o cachorro tinha fugido não sei para onde.

O Presidente da Camara já recebeu centenas de reclamações e sabe também que várias pessoas já se foram embora o ano passado por causa disto. E vem hoje dizer ao Diário que os jovens que aportam à Ilha nesta altura são um conjunto de vândalos! E quem autorizou isto? O que é isto senão vandalismo !? É já quase uma da manhã, passamos o dia nisto e vai continuar até às 4 da manhã !?

Que exemplo querem que os jovens tirem disto ! Dão-lhes este espectáculo inacreditável de FarWest até às 4 horas da manhã, com um completo desrespeito pelos direitos das pessoas, que em suas casas querem dormir e descansar, e depois querem que eles no fim deste chavascal, de madrugada, façam o que ? Querem que eles vão para a catequese ou para casa com um missal na mão ?

É uma da manhã. Continua toda a cidade acordada, com dois palcos a 50 metros um do outro a ver quem põe a música mais alta. De um lado música Pimba, do outro música Tecno. Um dia destes já tivemos cá o Melão! Acho que é um gajo por aí famoso ! Num destes dias também andavam p’raí a cantar, às quinhentas, qualquer coisa do género “Por amor à Manuela”!

Isto do lado do Festival do Petisco. Do outro lado, a 50 metros, a coisa era menos Pimba. Estaria anunciado um DJ internacional, também famoso, que terá justificado toda esta algazarra, mas que parece que afinal não veio …

E os hotéis que estão fartos de reclamar ? E o Centro de saúde que fica a menos de 200 metros ? Não conhecem a Lei do Ruído? Não há ninguém que veja isto ? O Presidente da Câmara, um Vereador, Ninguém ?

Hoje não me vou embora para o Funchal como fiz no ano passado. Nem vou dormir para casa dos meus amigo no Campo Baixo. Vou ficar em minha casa. À espera das 4 da manhã para poder dormir.  Tal como certamente muitas centenas de outros cidadãos e turistas que hoje e nestes dias todos, no centro desta cidade, sentem que os seus direitos constitucionais ao sossego, privacidade, saúde e bem estar, lhe estão a ser violentamente sonegados. Violentamente, porque atinge até laivos de Bullying, com os DJ a gritar várias vezes ao longo à noite “Hoje ninguém dorme”. E ninguém dorme mesmo.

Entretanto já acabou o Festival do Petisco ( por hoje ). A música Pimba parou. Já não se vê lá ninguém. A esta hora, já nem a Manuela quer saber do Melão !

Enquanto fazia tempo, fui lendo umas coisas e deparei-me com a crónica do Ricardo Oliveira, director do DN, na edição de hoje, indignado porque querem ditar-lhe que tipo de roupa deve levar para o estádio de futebol. Isto aqui está pior !

Nem dentro da nossa casa, nem dentro do nosso quarto conseguimos ouvir a nossa música ou mesmo a televisão ( a sério, não é exagero ). Nem sequer os auriculares ou os auscultadores resolvem. Temos mesmo que ouvir os 82 dB que nos entram pela casa dentro o dia todo e a música que nos impingem. E só temos direito a duas playlist : Uma Pimba e outra Tecno.

2:40 da madrugada. O ruído continua nos 82 decibéis. ( O tal nível equivalente ao do martelo pneumático da construção civil ). Como ainda faltava uma hora e vinte para acabar este massacre e poder dormir, fui até ao cais para ver que tamanho evento justificava estarmos todos, nesta cidade, acordados a esta hora.

E … Surpresa ! Não estavam no recinto mais de 10 pessoas, contando com os Polícias e com os empregados ! E fica uma cidade inteira a aturar isto até altas horas da madrugada, para estarem a por música para 10 pessoas ?!!!!!!

Vi sim, centenas de jovens noutros bares, com música interior, e passeando pelas ruas. Mas nenhum, mas mesmo nenhum, com qualquer comportamento fora do normal. E a Polícia, muito bem, a fazer o seu trabalho de acampamento de proximidade sem qualquer problema.

Ops ! Isto hoje acabou mais cedo !  São 3:19 Só se ouvem as ondas a bater na areia da praia.

Porto Santo !

E alguns jovens a falar ao longe, mas que comparados com aqueles 82 decibéis da matraca do martelo pneumático, parecem sussurros para os meus ouvidos … Até os confundo com as ondas do mar…”