Ligação Estreito de Câmara de Lobos/Jardim da Serra nos planos de Cafôfo

Paulo Cafôfo visita EstreitoO candidato do PS-Madeira à presidência do Governo Regional esteve, esta tarde, no Estreito de Câmara de Lobos, dando continuidade à estratégia que definiu para a sua pré campanha de proximidade que tem vindo a desenvolver, na qual tem contactado com instituições, com a população e com o comércio local.

Na ocasião, Paulo Cafôfo considerou ser importante que a Região possa ter uma estratégia de desenvolvimento global, isto para que «tenhamos um território coeso» e que haja desenvolvimento não só nos centros urbanos, mas também nas outras localidades à margem desses centros urbanos, onde as pessoas merecem ter a mesma qualidade de vida.

Neste sentido, o candidato disse querer que «o Governo Regional tenha um plano de investimentos públicos, de obras públicas que façam sentido, que vão para além de uma legislatura, que não sejam só estratégias eleitoralistas para ganhar votos, mas sim uma estratégia de desenvolvimento». Tal como referiu, «nós precisamos de fixar pessoas, precisamos de criar emprego e precisamos que esta Madeira possa ter e dar as condições que os madeirenses merecem, com a qualidade de vida que nós queremos que tenham».

Regionais 2019

Paulo Cafôfo adiantou que uma das obras inseridas neste plano, «nestes grandes investimentos que queremos em equipamentos e infraestruturas para a Região, é a ligação entre o Estreito de Câmara de Lobos e o Jardim da Serra». «Isto faz todo o sentido, porque nós queremos uma melhor mobilidade, que as pessoas tenham melhores transportes, que os residentes tenham melhor qualidade de vida e que possamos, assim, assegurar o futuro», sustentou.

Referindo que a ligação em via expresso entre o Estreito e o Jardim da Serra já foi prometida, Paulo Cafôfo fez questão de garantir o seu «compromisso, por reconhecer que a ligação entre freguesias é essencial para o desenvolvimento e, depois, criar as condições para que possa haver emprego, para que as pessoas se possam fixar e estancar um pouco aquilo que tem sido a perda de população para a emigração, pela obrigação que as pessoas têm de procurar uma vida melhor fora daqui da Região».