CDU critica Câmara e Governo Regional por não resolverem problema da habitação social

A CDU esteve hoje junto ao Conjunto Habitacional das Romeiras, uma oportunidade para a deputada municipal Herlanda Amado considerar que as questões habitacionais continuam a constituir uma das grandes prioridades sociais, para as quais são necessárias medidas e soluções concretas. “Não podemos continuar a falar das cerca de 3700 famílias que necessitam de habitação no Município, como se fossem estatísticas, sem que se tomem medidas concretas para a resolução deste grave problema”, defendeu. “Embora não sendo da exclusiva responsabilidade da Câmara Municipal do Funchal, a resolução das carências habitacionais do concelho constitui-se como um parceiro imprescindível no desenvolvimento de mecanismos e medidas capazes de resolver este flagelo que atinge milhares de pessoas”.

A CMF deveria ter tido uma intervenção prioritária na vertente habitacional, implementando um conjunto de medidas e desenvolvendo iniciativas aos mais diversos níveis, nomeadamente com o Governo Regional, no sentido de dinamizar políticas habitacionais capazes de responder a este grave cenário de carência, referiu Herlanda Amado, considerando “inaceitável que a Câmara e o Governo, estejam de costas voltadas, apenas por questões político-partidárias, e não sejam capazes de trabalhar em conjunto para a resolução deste problema”.

A deputada da CDU sublinhou que a edilidade tem várias parcelas de terrenos que poderiam e deveriam ser utilizados para a construção de habitação social; “aqui na freguesia de Santo António, mais precisamente no Pico das Romeiras, é detentora de cerca de 1800m2 de terrenos mas até à data não se conhece nenhuma intenção de intervir socialmente neste espaço, o que é de todo inaceitável e incompreensível tendo em conta as necessidades habitacionais conhecidas das famílias Funchalenses”.