PSD releva o facto da Madeira ser a primeira Região do País a ter Estatuto do Cuidador Informal

PSD cuidador informal 2“Quisemos que este estatuto resultasse da vontade dos Cuidadores. É um Estatuto para os Cuidadores, mas também é feito pelos Cuidadores. Tivemos a oportunidade de ouvir as associações e os cuidadores informais, e de acolher a maior parte das sugestões que fizeram,” realçou o deputado social democrata João Paulo Marques, no âmbito de uma visita do Grupo Parlamentar do PSD/M ao Centro Psicopedagógico da Sagrada Família.

“Os madeirenses podem estar orgulhosos não só por sermos a primeira região do País a ter um Estatuto do Cuidador Informal aprovado e em vigor, mas de ter um Estatuto que é feito pelas pessoas que efetivamente usufruirão de todos estes benefícios”, considerou o deputado.

João Paulo Marques falava este sábado, “impacto positivo” que o Estatuto terá na vida dos pais das crianças institucionalizadas, e na vida de todos os familiares que assumiram a responsabilidade de cuidarem das pessoas que lhes são mais próximas em casa.

O deputado social-democrata exemplificou alguns dos direitos e deveres dos Cuidadores Informais, nomeadamente o acesso privilegiado aos serviços públicos e o direito ao descanso. O acesso a apoios psicológico e financeiros são outros dos direitos plasmados no Estatuto. “A tarefa de ficar ao cuidado dos seus familiares é algo que exige muito das pessoas(…). Ao criarmos melhores condições para que as pessoas possam cuidar dos seus familiares, estamos em primeiro lugar a cuidar das pessoas, a cuidar daqueles que mais precisam”, apontou.