Aberto acesso à “Fernão Ornelas” pela Rua do Anadia, encerrado trajeto para a Rua do Carmo

Quem desce a Rua Visconde do Anadia pode virar à direita para a Rua Dr. Fernão de Ornelas para ter acesso ao parque ou ir em direção à Rua do Carmo pela Rua do Ribeirinho de Baixo.
Já é possível circular na Rua Dr. Fernão de Ornelas, em sentido contrário ao que era habitual, no troço entre a Rua Visconde do Anadia e Rua do Ribeirnho de Baixo.
A entrada para a Rua do Carmo foi hoje encerrada com o início da 4ª fase da obra.
Os trabalhos deram entrada na 4ª fase.
O resultado final será este.

Quem desce a Rua Viconde do Anadia já pode virar à direita para a Rua Dr. Fernão de Ornelas, em sentido contrário ao que antigamente era habitual, acedendo assim ao Centro Comercial do Anadia ou seguindo em frente pela Rua do Ribeirinho de Baixo até à Rua do Carmo. Ao chegar à Rua do Carmo o condutor poderá seguir no normal sentido de circulação em direção à Ponte do Carmo ou virar à esquerda em direção à Rua das Hortas. Também hoje, foi encerrado ao trânsito o acesso à Rua do Carmo para quem vem da Rua do Aljube e Ponte do Bazar do Povo ou quem sobe da Rua 31 de janeiro.

Estas novidades entraram hoje em vigor e estão integradas nas obras que a Câmara Municipal do Funchal está a desenvolver em toda a rua. É o início da quarta e última fase da intervenção.

“Nesta Fase, a intervenção irá desenrolar-se no Largo do Phelps e na Rua do Carmo, entre a Rua 31 de Janeiro e a Rua Cooperativa Agrícola do Funchal, proibindo a circulação rodoviária na Rua do Carmo a oeste da Rua das Hortas, Rua do Seminário e na Rua Dr. Fernão de Ornelas, entre a Rua do Carmo e a Rua do Ribeirinho de Baixo, com exceção às viaturas que se dirigem aos parques de estacionamento e às viaturas que realizam operações de carga e descarga. Estas exceções estão autorizadas a circular nos dois sentidos nos arruamentos suprarreferidos, não sendo permitido o estacionamento para além do estritamente necessário às operações em apreço”, explica a Autarquia.

A mesma informação autárquica dá conta que relativamente à circulação rodoviária durante esta fase, “os condutores poderão aceder à Rua do Ribeirinho de Baixo e ao parque de estacionamento do Centro Comercial Anadia pela Rua Visconde de Anadia, entrando em sentido contrário ao habitual na Rua Dr. Fernão de Ornelas e virando à direita para a Rua do Ribeirinho de Baixo e saindo em direção à Rua do Carmo. Ao chegar à Rua do Carmo o condutor poderá seguir no normal sentido de circulação em direção à Ponte do Carmo ou virar à esquerda em direção à Rua das Hortas”.

Devido aos constrangimentos previstos solicita-se que seja evitada a circulação nos arruamentos afetados, utilizando como alternativa a Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses, a Rua João de Deus e a Via 25 de Abril.

A intervenção associada à Rua Dr. Fernão de Ornelas consiste num projeto arquitetónico de requalificação do arruamento, bem como na substituição das redes de saneamento básico, e traduz um investimento de 313 mil euros da Autarquia.

“A valorização da Rua Dr. Fernão de Ornelas, que é o principal eixo comercial da cidade, é absolutamente estratégica para a economia local e para o turismo do concelho. A melhoria da mobilidade urbana, a adequação da via à maior circulação pedonal, tornar o espaço público mais seguro e confortável, a valorização do património, e a melhoria dos equipamentos são objetivos a que o projeto de requalificação se propõe, e cuja mais-valia é evidente. As restantes fases da intervenção terão lugar a partir do início do próximo ano e asseguram que esta rua histórica terá uma nova imagem e melhores condições para o comércio, à semelhança do que já aconteceu ao longo dos anos, em várias outras ruas da cidade”, justifica a Câmara do Funchal

 

O objetivo da Câmara Municipal “é tornar o Funchal uma cidade cada vez mais acessível, com melhor qualidade de vidas para os residentes, mas também maior atratividade para os turistas, sendo a dinamização do comércio local uma das prioridades políticas do atual Executivo camarário, por via de soluções que melhorem o espaço público, que continuaremos a promover”.