SESARAM instaura processo ao médico Rafael Macedo

O conselho de administração do Serviço Regional de Saúde decidiu instaurar um processo disciplinar ao médico especialista em Medicina Nuclear Rafael Macedo. Tomásia Alves disse que o clínico será suspenso até que decorra o referido processo.

Esta revelação foi feita há pouco em conferência de imprensa, a segunda em dois dias.

Recorde-se que ontem, como o FN fez referência, o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira deu conta que que “o médico Rafael Macedo foi dispensado da realização de exames na Unidade de Medicina Nuclear do SESARAM, pelo facto de não estarem reunidas as condições de serenidade, estabilidade, tranquilidade e confiança no serviço”, referindo, também, que “de modo a salvaguardar a realização dos exames, o SESARAM encontrou alternativas, nomeadamente através da colaboração de dois médicos do continente português que irão deslocar-se à RAM;

Revelou o SESARAM, nesta informação de quinta-feira, que “nos dias 21 e 22 de fevereiro, 19 e 20 de março, foi cancelada a atividade programada (de 4 dias), por faltas injustificadas do referido médico, sem qualquer justificação ou informação aos superiores hierárquicos. Esta situação motivou o cancelamento de 18 exames. Há que referir que por razões várias, nomeadamente ausências ou férias, o médico em causa procede ao cancelamento e/ou à não marcação de exames, alguns deles de carater urgente; Sempre que um profissional falte ao seu serviço e não havendo outro que o substitua é boa prática salvaguardar o bem-estar dos utentes, prevenindo deslocações ao Serviço Regional de Saúde sem a certeza do seu atendimento;

Em relação aos dias de hoje e de amanhã (21 e 22 de março), a mesma informação dá conta que “foram reprogramados 11 exames para a próxima semana. Nenhum dos exames cancelados tem caráter urgente; A sua reprogramação foi articulada com as diferentes especialidades médicas que solicitaram os referidos exames. Refira-se que este reagendamento não implica qualquer prejuízo da situação clínica dos utentes”.