Madeira Camerata actua hoje no Salão Nobre da ALRAM

 

foto arquivo

A Madeira Camerata, um agrupamento camerístico integrante da Orquestra Clássica da Madeira, actua hoje pelas 18 horas no Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Madeira. Este é um concerto para comemorar a Madeira, a sua música e seus criadores, também com a particularidade das sonoridades dos instrumentos tradicionais madeirenses como o Machete, o Rajão e a Viola. Estes serão momentos pouco habituais nas salas de concertos, mas que proporcionarão, esclarece o director artístico da OCM, Norberto Gomes, a possibilidade ao público de assistir a obras musicais de autores regionais pouco conhecidos.

O investigador convidado Paulo Esteireiro salienta que na primeira parte do concerto, será possível ouvir a obra musical do compositor madeirense Francisco Loreto (1974), intitulada de Peças para Machete e Orquestra de Cordas [1846]. “Nesta composição, o músico realiza um arranjo musical para orquestra de cordas, a partir de peças escritas originalmente para machete e viola em meados do século XIX, pelo compositor oitocentista da Madeira, Cândido Drumond de Vasconcelos (fl. 1841-c. 1875/6). Esta composição contará com a colaboração especial dos solistas Samantha Muir (machete) e Roberto Moniz (viola) e integra o ciclo “Os Nossos Instrumentos: Machete, Rajão, Viola”, que visa valorizar e dar a conhecer internacionalmente os instrumentos populares da Madeira, em contexto erudito”, refere.

“O convite à guitarrista inglesa Samantha Muir, que se tem destacado no plano internacional também como tocadora de ukulele, visa internacionalizar o repertório musical madeirense para instrumentos populares, envolvendo músicos estrangeiros de reconhecida qualidade artística”, refere ainda a nota à imprensa.

“Merece ainda destaque neste concerto, a execução do Concerto Grosso N.º 5, de António Pereira da Costa (c.1698-1770), compositor madeirense que foi mestre de capela da Catedral do Funchal, no século XVIII. Este concerto será precedido pela execução da Trio Sonata RV82, de António Vivaldi (1678-1741), permitindo assim o enquadramento da obra do músico madeirense, com uma obra italiana do período barroco. De salientar que a música italiana, particularmente os 12 Concerti Grossi de Arcangelo Corelli (1653-1713), influenciou certamente os concertos grossos do compositor do Funchal. Pereira da Costa publicou em Londres, em 1741, a obra XII Concertos Grossos – título igual ao da citada obra de Corelli –, que constitui a primeira obra impressa de um autor madeirense conhecida na actualidade. Apesar do destaque cultural que Portugal teve no século XVIII, os 12 concertos grossos de Pereira da Costa são ainda pouco conhecidos internacionalmente, estando a Orquestra Clássica da Madeira a realizar este ano a primeira execução integral moderna destes concertos”, salienta Paulo Esteireiro.

Este é o programa na sua sequência:

Johann Sebastian Bach [1685 – 1750] – Ária da Suite em Ré

G. F. Haendel / Asslamasian – Passacaglia

Candido Drummond de Vasconcelos – Orq. Francisco Loreto – Peças para Machete, Viola Francesa e Orquestra de Cordas [1846]
Roza Polka
Marcha nº1
Tema e Variações
Marcha nº21

A. Vivaldi [1678-1741] – Trio Sonata RV82
António  Pereira da Costa – Concerto Grosso Nº5 [**]

A Madeira Camerata é constituída por Norberto Gomes, Olena Solatkina, Nsham Chalikyan,Parandzem Khachkalyan, Valeriy Perzhan e Edina Tenki no violino; Volodymyr Petryakov e Marta Morera na viola, Marina Gyumishyan e Iryna Bandura no violoncelo e  Gábor Bolba no contrabaixo. Os bilhetes custam entre 5€ e 15€ e estão disponíveis no La Vie Funchal Shopping Center – Loja Naturalmente Português (Piso 1),das 09:00 às 22:00, e no dia do concerto no local, a partir das 14:00.

Samantha Muir

Nascida em Inglaterra, Samantha mudou-se para a Austrália com a sua família aos sete anos de idade. Começou a tocar guitarra aos nove anos. Dos seus professores destaca Sebastian Jorgensen; Peter Lynch, no Victorian College of the Arts; e Gregory Pikler no Sydney Conservatorium. Em 1992, foi finalista no Concurso de Guitarra Internacional Shell Darwin, onde recebeu uma comenda especial. Após a conclusão do Bacharel em Artes, com especialização em Literatura Inglesa, na Universidade de Sydney em 1994, promoveu os seus estudos musicais no Royal College of Music, em Londres. Tendo sido aceite no curso para Diploma de Pós-Graduação em Estudos da Performance na SéniorExhibition Scholarship, estudou com Carlos Bonell e formou-se em 1997. Recebeu o Madeline Walton Guitar Prize e é Associada do Royal College of Music, em Londres.

Samantha participou em diversas Master Classes com alguns dos melhores guitarristas e compositores do mundo, incluindo John Williams, Alirio Díaz, Leo Brouwer, Phillip Houghton, David Russell, John Mills, Timothy Kain, Stephen Dodgson, Ignacio Rodes e Nikita Koshkin.

Samantha está a fazer um doutoramento na Universidade de Surrey. É  membro da Consortium for Guitar Research, Sidney Sussex College em Cambridge.

Roberto Moniz

”Roberto” Carlos Freitas ”Moniz” nasceu no Monte, Funchal, a 20 de Dezembro de 1969.

É Mestre em Ensino de Educação Musical no Ensino Básico, formado pela Escola Superior de Educação de setúbal.

Aos 18 anos iniciou a sua carreira como professor lecionando em extracurricular a disciplina de cordofones tradicionais madeirenses (machete, braguinha, rajão e viola d’arame), trabalhando para a SRE – Secretaria Regional de Educação da Madeira, através da atual DSEAM.

Desde 1996 que é músico do Grupo “Xarabanda”. Foi Director Artístico do Grupo “Si que brade”.

Foi fundador e director artístico do Grupo “Machetinho” Desde Setembro de 2007 é professor de cordofones tradicionais madeirenses na Associação Musical e Cultural ”Xarabanda” e nessa mesma associação em 2007 fundou uma orquestra de cordofones tradicionais madeirenses, intitulada ”Orquestra de Ponteado”. Ainda nesta associação criou e orienta projetos ligados aos Cordofones e à música tradicional madeirense tais como: “Franco & Cordofones”; “Varejenta” e “O Quinto”.

É fundador e director artístico do Grupo “Machetes de Machim” É músico integrante dos projetos: “Quarteto Moritz” e “Trio Zargo” onde executa como acompanhante os instrumentos: rajão, viola d’arame e viola-francesa.

Actualmente desempenha as funções de professor de Cordofones Madeirenses (machete, braguinha, rajão e viola d’arame), no Conservatório Escola Profissional das Artes da Madeira, onde além do ensino, dedica-se também ao estudo e interpretação a solo destes Cordofones e Viola-francesa numa vertente de acompanhamento das peças eruditas para machete.

Nas “horas livres” é professor de Cordofones Madeirenses na Associação Xarabanda e na Associação Grupo de Folclore de Machico, Machetes de Machim – Machico.a

Tem algumas composições para Cordofones Madeirenses (Machete, Braguinha, Rajão e Viola d’Arame), essencialmente de iniciação.