MADEIRAdiG regressa em 2019 com projeto apoiado pela Direção Geral das Artes

Damien Dubrovnik 2A organização do festival internacional de música electrónica e experimental MADEIRADiG, a cargo da Agência de Promoção da Cultura Atlântica, já está a preparar a edição de 2019, ano em que o objetivo é editar uma obra editorial m o material correspondente às 15 edições já realizadas, incluindo os registos de 2018 que estiveram a cargo da fotógrafa madeirense especializada em fotografia de espectáculo Micas Fernandes.

Diz a nota da organização, referindo-se a 2018 como uma edição muito positiva, que “não só por aqui se ficam as especificidades da edição que terminou na passada semana: havendo sido abertas pela primeira vez às Regiões Autónomas as candidaturas aos programas de apoio da Direcção Geral das Artes, o MADEIRADiG foi um dos projectos contemplados no programa de apoio à programação e desenvolvimento de públicos, obtendo uma classificação de 86,1% e um financiamento de 40 000,00€”.

Para a organização, “a atribuição deste apoio veio ajudar a colmatar o investimento realizado ao longo de 15 edições e é visto como um prémio que promove o incentivo para continuar com um projecto que é dos poucos com impacto no segmento do Turismo Cultural de características descentralizadas na Região Autónoma da Madeira, sendo que o festival, que já atingiu notoriedade a nível internacional, tem no público estrangeiro predominantemente oriundo de diversos países da Europa, cerca de 80% da sua audiência contribuindo para a disseminação da Ilha da Madeira como destino cultural e criativo. Por tudo isto, a organização promete que o MADEIRADiG estará de volta, uma vez mais, no início de Dezembro de 2019”.

A comemorar a 15º edição, o mais antigo festival do género a realizar-se em Portugal sem interrupções desde 2004 assinalou a data com uma exposição de fotografia alusiva a alguns dos momentos mais marcantes do certame ao longo de 14 edições, com a participação de diversos fotógrafos entre os quais Rui Camacho, Roland Owsnitzki, Dominique Steiner ou Miguel Jardim, entre outros, num total de 8 fotógrafos sob cujo olhar ficaram registados diversos momentos memoráveis do festival que já contou no seu alinhamento com nomes como Ben Frost, The Necks, Rhys Chatham, Supersilent, Alva Noto, Tony Conrad, Peter Broderick, entre muitos outros que ao longo de 15 anos têm trazido à Costa Oeste da Madeira a excelência do género a nível mundial.