Catarina Branco expõe em breve no Mudas-Museu de Arte Contemporânea

A artista açoriana Catarina Branco vai expor em breve no Mudas-Museu de Arte Contemporânea da Madeira, na Calheta. A exposição chama-se “Em Paisagem” e está agendada para o sábado, dia 15 de Dezembro, pelas 18 horas. De acordo com uma informação da Secretaria Regional da Cultura da Madeira, a apresentação desta mostra na Madeira enquadra-se no âmbito de uma parceria instituída pelo “Mudas” e o “Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, viabilizada pelo protocolo assinado em 2016 entre as duas regiões autónomas, no âmbito da Cimeira Insular Madeira-Açores.

Nascida em 1974 na ilha de São Miguel, Catarina Branco licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. De entre as exposições individuais que realizou, destacam-se “Fenais da Luz” (2010), na Fonseca Macedo – Arte Contemporânea, Ponta Delgada e “Fez-se Luz” (2012), no Museu Carlos Machado, Ponta Delgada e também, em 2013, no Centro Cultural CEEE Érico Verissimo, Rio Grande do Sul, Brasil.

Catarina Branco foi convidada em 2013 pela Fundação Calouste Gulbenkian, para desenvolver um trabalho específico no projecto Próximo Futuro. A mostra realizou-se no jardim da Fundação, de Junho a Setembro de 2013. Durante o mesmo período, Catarina mostrou a instalação site-specific “Caligrafia”, na Sala Branca, no Palácio do Marquês de Pombal, Carpe Diem Arte e Pesquisa, em Lisboa.

Em 2014, na Universidade de Berkeley, Califórnia, Catarina Branco participou com uma peça original na exposição bibliográfica “April 25, 1974 – Portugal’s Carnation Revolution”.

Ainda em Abril de 2014, Catarina foi  convidada pela curadora espanhola Mónica Careaga para participar na exposição colectiva “Girls Just Want to Have Fun”, na Galeria Astarté, Madrid.

A peça site-specific “Caligrafia” foi ainda exposta no Coro Baixo da Ermida de Santa Bárbara, integrada no Museu Carlos Machado, Ponta Delgada.

Em Junho de 2014, inicia uma residência artística no Museu Eloísio Magalhães, na cidade do Recife, Brasil, que culminou com uma exposição no MAMAM no Pátio.

Ainda em 2014, participou num residência artística de Cerâmica Contemporânea, em Alcobaça. Realizou também uma exposição colectiva no Museu Nacional Soares dos Reis, Porto. Seguidamente uma individual na galeria Belo- Galsterer, Lisboa.
Em 2015, integrou a exposição de inauguração do Centro de Artes Contemporâneas – Arquipélago, São Miguel. Também expôs “Caligrafia com Luz” na Galeria Paços, em Torres Vedras, e em 2017 apresentou “Land (Escape) na galeria Fonseca Macedo, e uma mostra com o seu próprio nome, na “Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas”, nos Açores.