PS-M quer ir a votos com “programa credível” e com “coligação com a sociedade civil”

João Pedro Vieira
O secretário geral do PS-M deixa o propósito  de uma “nova geração de políticas” para a Região, com o partido no poder, em 2019.

Mais do que falar da data das eleições, o PS-Madeira emitiu um comunicado de reação mas a assumir uma posição de alternativa para as Regionais de 2019, sublinhando que o partido, na Região, “irá apresentar-se a este ato eleitoral com um programa credível, com uma estratégia para a próxima década, assente numa nova geração de políticas a pensar nas e com as pessoas. Para isso, apresenta Paulo Cafôfo como candidato a presidente do Governo Regional, reiterando a sua aposta em fazer uma coligação com a sociedade civil, colocando as pessoas no centro da sua ação”.

O PS-M reforça a ideia que se trata de “um candidato que tem uma visão para a Madeira assente em três áreas principais, nomeadamente a Educação, a Economia e a Saúde, com vista a uma nova geração de políticas públicas que conduzam ao crescimento económico e social da Região, à promoção da sustentabilidade do território, à fixação das pessoas e à promoção do emprego, dando futuro aos jovens e tentando estancar a vaga migratória da nossa população, entre a qual se encontram muitos jovens qualificados”.

Numa nota assinada pelo secretário geral socialista, João Pedro Vieira, o PS-Madeira garante que vai, assim, para estas eleições “com confiança, pois acredita que os cidadãos madeirenses querem uma mudança e uma rutura com as políticas que têm vindo a ser seguidas na Região Autónoma da Madeira há mais de 40 anos, sempre pelo mesmo partido”.