Carlos Pereira elogia “boa governação” do PS e diz que o PSD nunca cumpriu com a RAM

 

O deputado socialista Carlos Pereira considerou os empresários e as empresas como protagonistas de um contributo decisivo para aquilo que classificou como um dos vértices da boa governação do PS, a performance da economia. Carlos Pereira falava hoje no Parlamento nacional, durante o debate sobre o Orçamento do Estado para 2019, na generalidade.

Carlos Pereira comparou favoravelmente a actual governação à anterior: “Enquanto a direita ignorou o papel das políticas económicas na alteração dos condicionalismos do mercado, apostando de forma quase cega no seu funcionamento e numa suposta tendência para o equilíbrio, abandonando as empresas aos ciclos económicos, o Governo do PS introduziu novas opções que ofereceram às empresas as condições certas para produzirem mais e criarem mais emprego”.

“Sem a implementação de uma política económica virada para promover a produtividade e competitividade das empresas, assim como a aplicação de medidas anti cíclicas, muito dificilmente os resultados macroeconómicos – seja de crescimento do produto, seja de controle do défice, seja ainda de criação de emprego – teriam tido a expressão que hoje conhecemos”, acrescentou.

Por outro lado, opinou que  foi o crescimento do produto que permitiu ganhos no défice, redução do desemprego, e uma melhor e mais justa política de distribuição de rendimentos, Sem a resposta positiva e determinada dos empresários portugueses ao choque das novas políticas, os resultados não poderiam ser tão expressivos, acrescentou.

O vice-presidente do grupo parlamentar do PS congratulou-se por o Executivo socialista ter “arregaçado as mangas” e ter introduzido, desde o início, políticas para as empresas “sem hesitações”. “Capitalizar as empresas é hoje um dos aspectos que mais mobiliza os esforços deste Governo de forma a estancar a sangria do tecido produtivo que se gerou entre 2011 e 2015”, garantiu.

E sobre a Madeira, não deixou o PSD sem resposta. O deputado insular reavivou a memória aos sociais-democratas, lembrando que nunca cumpriram com a Região, porque nem promessas fizeram, quando estiveram no Governo, nomeadamente em relação ao novo Hospital.