Regressados da venezuela deixam patente o “verdadeiro alcance global da Madeira”, diz Cafôfo

Cafofo conferênciaO presidente da Câmara Municipal do Funchal apontou hoje, no âmbito da sessão de abertura do Colóquio Internacional “Viagem e Cosmpolitismo: da Ilha ao Mundo”, uma organização da Universidade da Madeira e da Universidade de Lisboa, “o caráter e a identidade dos madeirenses, um povo caloroso, cosmopolita e aventureiro, que sempre se notabilizou pela arte de saber receber gente de todo o mundo, mas igualmente como um povo de emigrantes, que se soube integrar e ser bem sucedido um pouco por toda a parte.”

O autarca destacou que “todo este percurso histórico, a extrema convivência dos madeirenses com outras culturas, aquém e além mar, e a própria centralidade da Região no plano atlântico asseguram que a Madeira continua a ter hoje um potencial geoestratégico inequívoco, com polo turístico e de partilha intercultural, numa estreita relação com o peso que têm as nossas comunidades emigrantes. Entre estas destaca-se, neste momento, o regresso à Madeira de muitos emigrantes e lusodescendentes na Venezuela, que deixam bem patente qual é o verdadeiro alcance da Madeira em termos globais. Temos de saber estar à altura desse papel.”

O colóquio decorre entre hoje e amanhã no Funchal, com a participação de 85 professores e investigadores, de várias nacionalidades.