Contra a cultura docente isolacionista, Ana Isabel Freitas propõe prática colaborativa e reflexiva

Ana Isabel Freitas também defende “múltiplas lideranças” e “lideranças transformadoras”. Fotos FN

A presidente do Conselho Executivo da Escola Secundária Jaime Moniz defendeu, na abertura do Encontro sobre Inovação e Liderança Educacional, que decorre neste estabelecimento escolar ao longo do dia de hoje, que os processos de mudança nas escolas exigem liderança e inovação.

Temas de fundo como a flexibilização curricular, a autonomia das escolas e a escola inclusiva colocam desafios aos estabelecimentos de ensino. Neste sentido, Ana Isabel Freitas defende que “as escolas precisam de múltiplas lideranças, de lideranças transformadoras que apelem à participação de todos na construção do processo de ensino-aprendizagem”.

Doutorada pela Universidade Aberta em Educação, na especialidade de Liderança Educacional, Ana Isabel Freitas deu particular ênfase à necessidade de não seguir “uma cultura docente isolacionista”. Em contrapartida, propõe “uma cultura colaborativa, reflexiva, com efetiva partilha do conhecimento”. Sem esta reflexão e prática colaborativa, o conhecimento não progride, defendeu. Aliás, reiterou ainda a ideia de que “os processos de mudança que se colocam às escolas são exigentes e demandam às escolas lideranças com inovação, com partilha”.

Por seu turno, a vereadora com o pelouro da Educação na Câmara Municipal de Câmara de Lobos esteve também presente neste Encontro. Aliás, revelou, graças a um Protocolo firmado entre esta autarquia e a Universidade Aberta, foi  recentemente inaugurado um Centro de Aprendizagem Local, nas instalações da Biblioteca Municipal de Câmara de Lobos que pretende ser uma mais-valia para a investigação e, sobretudo, para os estudantes das UAb. Uma aposta da autarquia nos projetos inovadores das escolas. Graças a esta preocupação com o trabalho em rede, com a inovação, a Câmara Municipal de Câmara de Lobos foi distinguida com o galardão da UNESCO “Cidade Aprendizagem”.