Seis mil regressados da Venezuela, quatro mil já inscritos no SESARAM e mais de mil frequentam escolas

Venezuela PSD
O grupo parlamentar do PSD-M reuniu-se com representantes da Venecom.

Foram dados divulgados hoje no âmbito de uma reunião do grupo parlamentar do PSD e dirigentes da Venecom, uma associação que tem vindo a desenvolver um trabalho de apoio no processo de regressos à Madeira de emigrantes na Venezula. “Dos seis mil que já regressaram à Madeira mais de 4 mil já estão inscritos no Sistema Regional de Saúde e mais de mil estão já a frequentar as escolas da Região”.

O secretário geral do PSD falou, também, dos apoios prometidos pelo Governo da República para compensar a Região. Rui Abreu refere que “estão sobretudo enquadrados na Segurança Social e relacionados com a necessidade de reforçar as verbas disponíveis, existindo um contacto permanente entre a Secretaria Regional de Educação e a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas”.

Nesta reunião, foi ainda avançado que no dia 6 de outubro o secretário regional da Educação, que tem a tutela das comunidades, inclui a comitiva do Governo da República, que se desloca à Venezuela para verificar a situação atual da numerosa comunidade portuguesa naquele país, com uma grande faixa de madeirenses.

Segundo o deputado social-democrata, neste momento, e tal como foi transmitido pelos responsáveis da Venecom, as principais dificuldades que são sentidas por estes emigrantes estão relacionadas com a ocupação laboral, com a habitação, com os processos de equivalências de habilitações académicas e ainda com as questões ligadas à legalização da nacionalidade portuguesa.

Rui Abreu lembra que todas estas pessoas, desde que possuam nacionalidade portuguesa e residência na Madeira, têm acesso aos mesmos direitos de que usufruem os restantes madeirenses.