Carlos Pereira quer que a ANA invista no Porto Santo para evitar que aviões regressem a Lisboa

O deputado madeirense eleito pelo PS na Assembleia da República, Carlos Pereira, apelou hoje à ANA- Aeroportos de Portugal para que invista no aeroporto do Porto Santo, que pode bem ser alternativa ao da Madeira, impedindo o regresso de aviões ao continente quando não conseguem aterrar no Funchal devido ao vento.

“Há centenas de voos que voltam para trás”, lamentou, considerando mesmo que se trata de “uma desgraça económica” que não pode continuar a acontecer num aeroporto no meio do Atlântico. “Há uma alternativa que é o Porto Santo”, disse, apelando a que a ANA faça o devido trabalho. “Para quando esses investimentos?”, perguntou, lembrando o crescimento do número de passageiros em todos os aeroportos nacionais, que, diz, justificam as expectativas em novos investimentos.

 Carlos Pereira falava esta manhã na Comissão de Economia, que ouviu hoje em audição o presidente executivo da ANA – Aeroportos de Portugal, Thierry Ligonnière. Ainda sobre a questão dos ventos, o vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS disse que não pede que se ponha em causa a segurança, mas acredita que é possível fazer alguma coisa, nomeadamente avaliar se “com a nova tecnologia é possível ter limites mais razoáveis”.

 O deputado insular aproveitou ainda a oportunidade para relembrar que quando a ANAM- aeroportos da Madeira – foi vendida à ANA ficou acordado que as taxas aeroportuárias na região convergiriam com as dos restantes aeroportos nacionais. “Convergiriam para baixo”, frisou. “Não é isso que temos assistido”, apontou, apelando a que se cumpra o acordo.

 Carlos Pereira  terminou pedindo a Thierry Ligonnière que deixe bem claro que o novo aeroporto do Montijo não vai ser custeado com as taxas aeroportuárias cobradas nos restantes, nomeadamente na Região.