Casa da Madeira nos Açores assinala 600 anos da descoberta e povoamento do Porto Santo

No âmbito da celebração dos 600 anos da descoberta e povoamento da ilha do Porto Santo, pelos navegadores portugueses, o CHAM – Centro de Humanidades e o CEHA – Centro de Estudos de História do Atlântico, em colaboração com a Casa da Madeira nos Açores (CMA) realizaram m ciclo de conferências que pretendeu dar a conhecer um pouco da história da primeira ilha do arquipélago da Madeira a ser povoada. As conferências decorreram durante o passado fim-de-semana, na Sala Multiusos Gaspar Frutuoso, na sede da CMA. Tendo sido moderadas por N’Zinga Oliveira (CHAM&CMA) tendo como oradoras: Edite Alberto (CHAM), Cláudia Faria (CEHA) e Graça Alves (CEHA).

A CMA é uma instituição com mais de trinta anos de existência, que tem realizado múltiplas actividades culturais de divulgação do arquipélago da Madeira nos Açores. Estas iniciativas têm registado uma grande adesão e colaboração por parte de associações e entidades locais, refere uma nota.