Albuquerque diz que o Governo da República “nem cumpre os mínimos com a Madeira”, apontando exemplo do subsídio de mobilidade

Albuquerque Proderam 2
Miguel Albuquerque entregou apoios do PRODERAM e lançou críticas a Lisboa.

“A União Europeia apoia mais a Madeira do que o Estado Português. E o Estado Português, particularmente o Governo da República nem os mínimos cumpre com a Madeira, Veja o caso do helicóptero para combate a incêndios, onde a Madeira é a única Região do país que paga esses custos”. Esta posição foi hoje assumida pelo presidente do Governo no âmbito da entrega de apoios no âmbito do PRODERAM (Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira)

Albuquerque enumerou um conjunto de situações que colocam Estado e Região de costas voltadas, designadamente a dívida “onde o Estado ganha vergonhosamente 12 milhões, por ano, à custa dos madeirenses, num empréstimo de um milhão e quinhentos mil euros. Além disso, é justo ser o Governo Regional a apoiar o ferry?, Temos neste momento um combate político para a necessidade de rever a questão do subsídio de mobilidade e nada disso é feito. Mais flagrante, nem o dinheiro para as obras resultantes dos incêndios de 2016 mandaram. É um rol grande, parece aquele que antigamente existiam nas mercearias”.

Miguel Albuquerque realça que em termos de apoio em termos de PRODERAM, “estamos com uma taxa de execução que já vai em 47 milhões de euros”, referindo que o resultado verificado em 2017, na Agricultura, foi de 61 milhões de euros, líquidos, o melhor resultado”.

O chefe do Executivo repetiu ideias de outros momentos públicos para reforçar aquilo que considera ser o sucesso da governação: crescimento em todas as vertentes, desemprego a descer.