CDU denuncia fortes dificuldades vividas pelo comércio tradicional no Funchal

A CDU realizou uma iniciativa na manhã de hoje na baixa do Funchal. Foi na Rua dos Tanoeiros que a deputada municipal Herlanda Amado, considerou que o comércio está a definhar, o que exige acção imediata.

“O futuro é incerto para os comerciantes que ainda resistem e conseguem manter a porta aberta, na baixa do Funchal devido a vários problemas com que se confrontam. Seja por dificuldades económicas provocadas pela conjuntura de crise económica recentemente vivida por todos nós, seja pelas catástrofes que atingiram a baixa do Funchal como o 20 de Fevereiro, que deixou muitos comerciantes desta zona completamente desesperados por soluções que tardaram em chegar, e que até hoje não conseguiram “levantar cabeça”, ou seja pela inércia das entidades competentes em dinamizar e potenciar o chamado comércio tradicional”, denunciou.

Exemplo disso mesmo, para a CDU, é a postura da autarquia funchalense que de anúncio em anúncio, publicita programas de revitalização do comércio tradicional. Porém, no terreno e de forma concreta, os comerciantes não vêm a tão propagandeada revitalização realizar-se, afirmou.

“O comércio definha a olhos vistos e a Câmara Municipal do Funchal não tem conseguido inclusivamente garantir que as intervenções que estão a decorrer em muitas das artérias da cidade, não condicionem a vida já tão difícil dos comerciantes, revelando também falta de planificação”, continuou. “Pior cego é aquele que não quer ver, e aqui basta abrir os olhos para ver que uma coisa é a propaganda da autarquia, outra é a realidade vivida pelo comércio tradicional.”