Padre Nuno Tovar desafia veraneantes a alimentar a alma e não apenas o corpo

O Padre Nuno Tovar Lemos a celebrar a missa dominical no exterior da Capela de Santa Catarina para uma multidão de veraneantes também sedenta de Deus. Fotos FN.

20 horas deste domingo. Sacos de praia no chão. Silêncio que o padre Nuno Tovar Lemos vai celebrar a missa dominical na Capela de Santa Catarina, na Praia da Rocha, em Portimão. Tom sereno, a olhar para uma surpreendente casa cheia de gente que fez um intervalo no lazer para escutar a Palavra de Deus. Ao mesmo tempo, em baixo, na notívaga Marina de Portimão, os decibéis disparavam com um DJ da moda, PeteTha Zouk, a agitar o NoSoloÁgua com o Infinity Sunset. Cada espaço o seu público.

A verdade é que, num ápice, o átrio do Forte seiscentista de Santa Catarina encheu-se para ouvir o conhecido sacerdote Nuno Tovar Lemos que, de forma espirituosa, acolhedora e firme, lembrou que, num tempo em que se sobrevaloriza os cuidados com o corpo, é mais importante cuidar da alma, para que esta resista à “obesidade” que tantas vezes bloqueia as correntes de graça. “O corpo vai-se gastando mas a alma é o que fica e o que se vai afirmando. Jesus lembra sempre que é o alimento. Tenham alma de surfistas: alimentem-se das minhas palavras, dos meus ideais. O corpo é muito importante mas não deve ocupar o espaço todo”.

O sacerdote, também autor de vários títulos, nomeadamente d’O Príncipe e a Lavadeira, Nuno Tovar Lemos interpelou os jovens e adultos no sentido de uma necessária autorreflexão: “Em que tipo de pessoa me estou a tornar? Bonita no corpo e obesa na alma, sem tempo para Deus e para os outros, porque só tenho espaço para um “eu” do tamanho do mundo? Neste tempo de férias, de praia, saibamos todos tirar também tempo para nos alimentar de Deus, o melhor dos alimentos”.

Não era apenas uma plateia de idosos que escutava o sacerdote, mas também crianças que ocupavam a bela e antiga escadaria de Santa Catarina, jovens a fazerem as leituras Bíblicas e adultos, num intervalo dado à animadíssima vida estival de Portimão para escutar a Palavra do Senhor, o exemplo do profeta Jeremias e os sábios ensinamentos de São Paulo.

Terminada a celebração, o Padre Nuno Tovar marcou já encontro, no mesmo lugar, para o dia 15 de agosto, pelas 20 horas, para celebrar a Assunção de Nossa Senhora, um feriado rel.igioso de profundo significado para os católicos. Ficou o co0nvite: as portas estão abertas a todos e, com a colaboração dos paroquianos de Santa Catarina, há sempre lugar para quem queira entrar e escutar a Palavra.