Concelhia do PSD do Funchal acusa CMF de enredar-se “nas suas próprias contradições” acerca da circulação de automóveis no centro

O PSD do Funchal comentou um comunicado emitido hoje pela CMF, considerando que o mesmo “soa a desespero”. Acusando a CMF de “estar presa nas suas próprias contradições” e condicionada pelos próprios planos que apresenta e aprova, o PSD refere que não aceita “este lavar de responsabilidades sobre a proibição de entrada de carros no Funchal, quando a referida proibição está taxativamente escrita na página 75 do PAMUS Funchal, como medida 9, acção 9.1”.

Segundo os social-democratas, “diz o ponto, clarinho como água, o seguinte: “Estudo e implementação de ZER [Zona de Emissão Reduzida] na zona delimitada pela Cota 40, impedindo a entrada e circulação de veículos anteriores a 2001 (pré Euro3)”. Isto significa, que nenhum carro com matrícula anterior a 2001 poderá circular abaixo da cota 40, o que inclui, como é evidente, o próprio centro da nossa cidade”.

Segundo acusa o PSD do Funchal, torna-se evidente que a CMF “tenta agora abafar os seus próprios erros apontando o dedo aos outros para desviar as atenções”.

“Por aqui se percebe que quem quer “induzir os funchalenses em erro”, e mais uma vez manipular a opinião pública, é o executivo da CMF. Porque é o executivo da CMF que vai impedir a entrada dos carros anteriores a 2001 no centro da cidade. E porque é a CMF que tenta, uma vez mais, negar aquilo que ela própria escreve ou define para o seu plano de mobilidade. Este Plano não é do PSD. Este plano é da Coligação Confiança e do seu actual executivo”, acusa o comunicado assinado pela concelhia do Funchal do PSD, acusando o executivo de Paulo Cafôfo de “enganar os funchalenses”..