Governo “senta-se” com a Binter para estudar ajustamentos na ligação aérea com o Porto Santo

Reunião_Binter_01
Operação da Binter colocada em cima da mesa na reunião da manhã de hoje.

A Binter começou há pouco a operar na linha aérea entre a Madeira e o Porto Santo depois de ter ganho o concurso para a concessão. Mas o Governo considerou relevanta promover um encontro alargado no sentido de rever alguns aspetos que estão menos operacionais. Essa reunião alargada teve lugar hoje e à mesa estiveram representantes da companhia aérea espanhola Binter, da Câmara Municipal do Porto Santo, o deputado porto-santense Bernardo Caldeira, a diretora regional adjunta de Economia e o vice-presidente do Governo Regional.

Numa nota da vice presidência do Governo, temos declarações de Pedro Calado referindo que “não obstante este processo da ligação aérea entre o Porto Santo e a Madeira ser da responsabilidade do Ministério Planeamento e Infraestruturas, o Governo Regional da Madeira, sensível às populações que serve, em especial os residentes no Porto Santo, considerou ser importante e oportuno limar alguns aspetos desta operação que poderão ser alterados ou minimizados. E, por isso mesmo, propiciou este encontro de trabalho”.

No essencial, para o Governo Regional, diz ainda o vice presidente, “o que está em causa são alguns acertos que a população tem vindo a sugerir, por forma a que possam ser feitas algumas alterações nos serviços, correspondendo àquelas que são, também, as expetativas dos residentes no Porto Santo conciliando, ao mesmo tempo, os aspetos operacionais da companhia”.

A reunião, conforme referiu Pedro Calado, decorreu num clima de perfeito entendimento entre todos os intervenientes, tendo a Binter manifestado sensibilidade às sugestões que deixadas, ficando agora de analisar internamente a viabilidade das mesmas, em especial as questões relacionadas com os horários dos voos, bem como alguns aspetos do tarifário.

Neste momento, de acordo com o vice-presidente do Governo Regional, “apesar do processo inicial em contrarrelógio, a operação assegurada pela Binter garantiu toda a componente operacional e de segurança, essenciais, para que as ligações entre o Porto Santo e a Madeira fossem uma realidade no dia 5 de junho. Estando a ligação agora, numa fase mais estável, em nosso entender, esta é a altura certa para estudarmos eventuais alterações”.

Neste contexto, a mesma informação dá conta que a Binter demonstrou interesse “em dinamizar a parte comercial desta operação junto das agências de viagens, tendo já contratado, para o efeito, um profissional que ficará responsável por essa missão na Madeira”.