Centeno e Governo da República estão a fazer um cerco à Madeira, acusa a social democrata Sara Madruga

Sara Madruga Nova
Sara Madruga da Costa acusou Centeno e Governo da República de cerco à Madeira.

“Cerco, aquele velho e conhecido método militar e calúnias, parecem ser a estratégia deste governo da república em relação à Madeira, o único governo PSD do país”, disse hoje a social democrata Sara Madruga da Costa, na Assembleia da República, na audição regimental ao Ministro das Finanças.

A parlamentar afirmou que “durante três anos este governo não resolveu nenhum dos compromissos e das obrigações para com esta Região”, sublinhando que “continuamos a aguardar pela concretização do financiamento do novo hospital, pelo pagamento das dívidas dos subsistemas de saúde, pela redução da taxa de juro dos empréstimos ou pela revisão do subsídio de mobilidade”.

Sara Madruga da Costa questionou o ministro sobre o ponto de situação destes dossiers” quando tenciona o governo desbloquear estes processos, para quando o fim do cerco à Madeira?” Interrogou a deputada.

Numa nota enviada à comunicação social, refere-se que a social democrata madeirense exigiu ainda a Centeno “um pedido de desculpas pelas infundadas acusações do primeiro ministro e do líder parlamentar do PS no debate quinzenal de 14 de fevereiro, “ os últimos números do INE contrariam as falsas acusações e demonstram que o contributo da Madeira para as contas do país é positivo e não negativo”.

A mesma nota conclui que Sara Madruga da Costa reforçou, ainda, que “todos já percebemos esta estratégia de cerco e de bloqueio à Madeira. É inadmissível que se governe de forma eleitoralista e que se tente prejudicar uma Região única e exclusivamente com vista a tentar colher frutos partidários nas próximas eleições de 2019”.