CDS/PP Madeira quer estrutura nacional a assumir a Autonomia e leva pretensão ao Congresso

Lopes da Fonseca CDS líder 2018
Os transportes marítimos e aéreos, para a Madeira, devem merecer atenção dos partidos nacionais.

O líder do CDS/PP Madeira, Lopes da Fonseca, quer que a estrutura nacional do partido “assuma a Autonomia como um valor para a resolução dos problemas concretos das populações da Região Autónoma da Madeira, nomeadamente ao nível da criação de um sistema fiscal próprio; garantias do cumprimento da continuidade territorial em matérias como os transportes aéreos e marítimos, assegurando a mobilidade territorial das pessoas mas também a redução dos custos com as mercadorias e as comunicações; dentro do mesmo princípio o Estado deve assumir responsabilidades financeiras com os custos da Saúde e Educação na Região; contribuir com respostas concretas no plano social e económico ao movimento de regresso de emigrantes à Região.”

Estas declarações foram feitas em contexto de realização, no próximo fim de semana, em Lamego, do XXVII congresso nacional do CSDS/PP, onde a estrutura regional estará representada por cerca de 60 pessoas, entre delegados eleitos, inerências e convidados, constituindo uma das maiores de sempre. Lopes da Fonseca é o primeiro subscritor da moção de estratégia “Compromisso pela Madeira”. Onde, por exemplo, defende o compromisso do partido no financiamento público para o novo Hospital.
O líder do CDS/PP Madeira diz já estar consubstanciado, na moção de Assunção Cristas, uma referência aos compromissos que o partido tem para com a Autonomia, sublinhando a necessidade de, em termos globais entre a Região e Governo da República, haver uma articulação tendo em vista o aprofundamento desses valores autonómicos. “Queremos que haja uma perspetiva de futuro diferente daquela que tivemos no passado. Neste contexto, consideramos que para reforçar a Autonomia, devemos ter quatro princípios fundamentais: Solidariedade, Subsidiariedade, Reciprocidade e Continuidade Territorial”.
Lopes da Fonseca enumera o problema dos transportes como nuclear, reforçando a ideia de que os partidos nacionais devem ter em atenção as questões relacionadas com os transportes marítimos e aéreos. A Saúde e a alteração da Lei de Finanças Regionaissão dois outros domínios relevantes para a Região, de acordo com o líder do CDS/PP. Este apelo nacional visa a obtenção de apoios e concensos, que não se compagina, segundo o líder do CDS/PP, com o contencioso das Autonomias, que na sua opinião “deve acabar”.