Jardim pergunta o que teve a ver o fogo do fim do ano com os 600 anos de povoamento do arquipélago

FIM DE ANO DE 2017
FOTOS: @ ALFREDO RODRIGUES

Alberto João Jardim gostou do fogo mas…

“Foi bonito. O fogo da noite de Fim de Ano.
E é difícil não sê-lo, num cenário daqueles.
Mas, cuidado!…

O espectáculo assenta muito na variedade, pouca desta vez, embora com o fumo bastante reduzido apesar da calmaria.
O espectáculo tem de encher mais o cenário, do que na última Noite.

E não se deve aceitar o risco de experiências. Façam-nas noutra ocasião, e então tragam-nas se os entendidos de cá gostarem. O Fim do Ano tem de ter aquelas grandes cascatas de luz e côr a se derramar e a se expandir como águas de aluvião sobre o território mátrio.
X

Como ainda não me explicaram – talvez culpa minha, não perceber – o que tinha aquilo a ver com os Seiscentos Anos de povoamento do arquipélago.”